domingo, 31 de janeiro de 2010

O Haiti – um país castigado por fatores naturais e com uma história vivida com problemas sociais políticos e econômicos

O Haiti

O destino dessa nação tem sido muito trágico. Vidas marcadas há anos por catástrofes que leva o país a ficar em ruínas, além de ser um dos países mais pobres da América Latina e do mundo, o Haiti segundo o Banco Mundial, nos últimos vinte anos, sua economia despencou brutalmente: 0,2% por ano na década de 80 e 0,4% por ano nos anos 90.

A renda per capita dos haitianos é de U$ 480,00 por ano (a dos americanos é de U$ 33.550,00); a metade da população passa fome e é analfabeta; a expectativa de vida chega a 49,1 anos.

Além do mais tem que enfrentar o destino que a natureza traçou para esse povo, razão pela qual só Deus e a natureza pode nos explicar.

São muitos os problemas que o Haiti enfrenta e deixa milhares de irmãos em Cristo, sofrendo todo tipo de necessidade onde cada vez mais caminham para o fim do túnel onde nenhuma luz acende na esperança de uma mudança para melhor.

Além de ser tão massacrada por inúmeros fatores, é o país onde morre mais crianças com menos de cinco anos de idade, mas foi o primeiro país a libertar seus escravos, sem contar que o Haiti já foi um dos maiores produtores da açúcar.. concorrendo com o Brasil no século XVII.
Passou por vários golpes militares e governo repressores.

História do Haiti


O Palácio Presidencial (Palácio Nacional) em Porto Príncipe, que foi seriamente danificado durante o Sismo do Haiti de 2010.

Geografia

O terreno do Haiti consiste principalmente de montanhas escarpadas com pequenas planícies costeiras e vales fluviais. O leste e a zona central é um grande planalto elevado.
A maior cidade é a capital Port-au-Prince, com 2 milhões de habitantes, seguindo-se-lhe Cap-Haïtien com 600 000.

O Haiti é uma república presidencialista com um Presidente eleito e uma Assembleia Nacional. A constituição foi introduzida em 1987 e teve como modelo as constituições dos Estados Unidos da América e da França. Foi parcial ou completamente suspensa durante alguns anos, mas voltou à plena validade em 1994.

Os primeiros humanos no Haiti, também conhecido como La Española' ou Hispaniola, chegaram à ilha há mais de 1000 anos aC, possivelmente 7000 aC.

Em 5 de dezembro de 1492, Cristóvão Colombo ao viajar para o ocidente atingiu uma grande ilha. Mais tarde passou a ser chamar de São Domingos; dividida entre dois países - a República Dominicana e o Haiti - , é a segunda maior das Grandes Antilhas, com a superfície de 76.192 km² e cerca de 9 milhões de habitantes.

Com 640 km de extensão entre seus pontos extremos, a ilha tem formato semelhante à cabeça de um caimão (pequeno crocodilo abundante na região), cuja "boca" aberta parece pronta a devorar a pequena ilha de Gonâve. O litoral norte abre-se para o oceano Atlântico, e o sul para o mar do Caribe (ou das Antilhas).

Conquista espanhola

Depois da chegada de Colombo, os espanhóis estabeleceram fortes no litoral da ilha; depois da segunda viagem de Colombo à ilha, a colonização foi estendida para toda a ilha, ocorrendo a escravização de indígenas para a agricultura e cerâmica. A partir de 1520 a colonização espanhola no Haiti teve sua decadência.

Depois da decadência espanhola, a partir de 1625, a ilha teve grande influência francesa. Em 1697 a Espanha e a França assinaram o Tratado de Ryswick, que determina a passagem do controle da ilha para a França. Por essa época praticamente toda a população nativa havia sido dizimada pela força e pelas doenças.

Colonização francesa

Abrigados na estratégica ilha de Tortuga, os piratas franceses passaram a ocupar partes da ilha. As tropas enviadas para combatê-los acabaram por se estabelecer na sua porção ocidental. Os conflitos com os espanhóis duraram pelo menos até 1776, quando o terço ocidental da ilha passou definitivamente ao domínio francês.

Durante todo o século XVIII os franceses incrementaram a formação da lavoura açucareira na região, importando escravos africanos em grande quantidade. Ao começar a Revolução Francesa, viviam na colônia cerca de 500 mil negros, 24 mil mestiços e 32mil brancos.

O Haiti, proporcionalmente a seu território e sua rentabilidade, podia ser considerado como uma das mais ricas colônias da América, a "pérola das Antilhas".


Independência

O Haiti foi o primeiro país latino-americano a declarar-se independente. Os movimentos insurrecionais da população escrava, numericamente com uma superioridade esmagadora, começaram a se tornar frequentes.

Em 1754 havia 465 mil escravos, e a classe dominante era composta por apenas 5 mil brancos, sendo o restante de negros e mulatos livres e brancos pobres. Nesse ano desencadeou-se a revolta do escravo Mackandal, que utilizou os ritos do vodu para aterrorizar os senhores e unir os escravos contra eles.

Após quatro anos de guerrilhas, Mackandal foi preso e condenado à fogueira como feiticeiro, mas diz-se que fugiu pouco antes da execução. Em consequencia, os

franceses passaram a reprimir o vodu.
A Revolução Francesa, com seus ideais de liberdade, foi o estopim para outra revolta.






Intervenção norte-americana

Entre a deposição de Boyer e a intervenção dos Estados Unidos, o Haiti conheceu vinte e um governantes que tiveram final trágico. Digno de nota foi Faustin Soulouque, que, nomeado presidente em 1847, conquistou a República Dominicana em 1849e foi proclamado imperador, promovendo um renascimento das práticas vodus e apoiando-se nos negros.

A luta pela independência dos dominicanos levou à derrocada de seu governo, tendo sido deposto em 1858 e exilado. Dos demais governantes, um presidente foi envenenado, outro morreu na explosão de seu palácio, outros foram condenados à morte e um deles, Vilbrum Sam, foi linchado pelo povo.

A economia caótica e a instabilidade institucional levaram os EUA a intervir no país a fim de cobrar a dívida externa. Em 1905, passaram a controlar as alfândegas e, em 1915, invadiram militarmente a ilha e assumiram o governo. A intervenção reorganizou as finanças e impulsionou o desenvolvimento da nação.

Os americanos impuseram uma nova constituição e se comprometeram a respeitar a soberania do país. Seguiram-se sucessivos governos da elite mulata.

A presença das tropas americanas impediam a anarquia e a guerra civil, porém não puderam conter a fragilidade dos governos nem a constante oposição dos nacionalistas, que não desejavam a continuidade das tropas estrangeiras. Em 1934, os EUA retiraram suas tropas e, em 1941, abdicaram do controle alfandegário.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Haiti






terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Entrvista na Rádio CBN com o Professor Astrônomo sobre o Achado de 32 Planetas fora do Sistema Solar

Divulgação da Nasa

Concepção Artística de um Exoplaneta


Encontrados 32 planetas fora do Sistema Solar

Descoberta do Observatório Meridional Europeu (ESO), no Chile, reforça esperança de vida extraterrestre

Mais astrônomos descobriram 32 novos planetas fora do Sistema Solar (também
Chamados de exoplanetas). Como esses planetas orbitam uma Variedade de estrelas, esses novos achados reforçam a ideia de que eles são comuns na nossa galáxia e que o universo está repleto de possíveis palcos para a vida.

As descobertas foram feitas pelos telescópios do Observatório Europeu Meridional (ESO), baseado no Chile. Mas os cientistas não encontraram nenhum planeta do tamanho da Terra, que parecesse Habitável ou mesmo incomum. Mas o anúncio eleva o número de planetas já descobertos fora do Sistema Solar de um 400 mais.

Seis dos recém-descobertos planetas são algumas vezes maiores que a Terra, elevando o total das Chamadas "superterras" em mais de 30%. A maioria dos planetas descobertos até agora é muito maior, do tamanho de Júpiter (o maior planeta do Sistema Solar mais) ou. Dois dos planetas encontrados junto a essas estrelas Têm tamanhos próximos ao da Terra, disse o astrônomo Xavier Bonfils, do Observatório de Grenoble, na França.

Entre esses estão planetas gigantes gasosos estrelas orbitavam que pobres em metais, ou seja, compostas basicamente de hidrogênio e hélio. Até agora, a presença de planetas orbitando estrelas tais Considerada era incomum. Essa característica é Considerada pelos astrônomos especialmente interessante: cerca de metade dos novos exoplanetas encontrados tinha essa configuração.

TERRAS EM TODA A PARTE

O astrônomo Stephane Udry, da Universidade de Genebra, Disse que os resultados dão apoio à teoria de que uma formação de planetas é um fenômeno comum, especialmente ao redor de um certo tipo de estrela.

"Estou bem confiante de que há planetas semelhantes à Terra em toda parte", afirmou Udry, em entrevista via internet, de Portugal. "A natureza não gosta do vácuo. Se há espaço para pôr lá um planeta, lá haverá um planeta."

As descobertas foram feitas pelo Buscador de Planetas de Velocidade radial de Alta Precisão, instabilidades por que procura sutis nenhum movimento de uma estrela, que pueden ser CAUSADAS pela atração gravitacional de um planeta próximo. Nenhum dos novos planetas foi fotografado.

Deixem os seus comentários depois de ler o texto e ouvir uma entrevista com o Astrônomo Brasileiro Enos Picazzio.

Agradeço a sau participação.


BBC Brasil

Atualizado - 19/10/2009 - 17h53

Agência do Estado

domingo, 10 de janeiro de 2010

Arqueólogos egípcios encontram duas tumbas de 2,5 mil anos no Egito


Arqueólogos encontraram tumba de 2,5 mil anos em Saqqara, distante 20 quilômentros do Cairo, capital do Egito (Foto: SUPREME COUNCIL OF ANTIQUITIES/AFP)

Esqueletos e águias mumificadas foram encontradas no local.
As duas tumbas descobertas pertencem à 26ª dinastia dos faraós.

Arqueólogos egípcios encontraram duas tumbas de 2,5 mil anos em Saqqara, distante 20 quilômetros do Cairo, capital do Egito. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (4) pelo Conselho Superior de Antiguidades (CSA) do país.

As tumbas pertencem à 26ª dinastia dos faraós e foram descobertas em Ras el Guesr, cavadas nas rochas, afirmou o diretor da CSA, Zahi Hawass. A primeira delas "é a maior tumba descoberta em Saqqara", disse.

No local - uma imensa sala de onde partem várias passagens e câmaras - foram encontrados vários esqueletos e águias mumificadas.

Na segunda tumba, de tamanho menor, foram encontrados recipientes de barro cozido. Essa descoberta demonstra que "Saqqara segue guardando segredos", avaliou Hawass.


A região de Saqqara é uma grande necrópole na região da antiga Memfis, onde se encontram numerosas tumbas e as primeiras pirâmides faraônicas.

O governo do Egito vai examinar a múmia com equipamentos de raio X e ressonância magnética. A expectativa é encontrar amuletos e peças de ouro.

Site - G1

04/01/10 - 15h05

Atualizado em 05/01/10 - 10h19

Vídeo Relacionado ao Tema

video

Geleiras da Bolívia já sentem os efeitos do aquecimento global

La Paz e El Alto podem ter o abastecimento de água afetado.
Vídeo do New York Times explica o problema.


Cientistas alertam sobre o efeito do aquecimento global nas geleiras da Bolívia. A capital La Paz e a vizinha El Alto são as regiões mais afetadas.

As geleiras que cercam as cidades andinas bolivianas representam mais de 20% do abastecimento de água para dois milhões de habitantes nas duas cidades. O restante vem basicamente da coleta da chuva.

O problema piora com a administração ineficiente do governo e a falta de conscientização da população. A Bolívia é um dos países mais pobres da América do Sul e cerca de 40% de toda a reserva de água do país acaba sendo desperdiçada.

Em La Paz, a cidade mais rica, as pessoas entendem a gravidade da situação, mas ainda não enfrentam racionamento de água e de energia. Já em El Alto os efeitos são mais evidentes.

A dona de casa Celia Cruz, de 33 anos, sofre com problemas de abastecimento, desde setembro do ano passado. Ela já pensa em deixar a cidade, onde vive há mais de 10 anos. “O que mais posso fazer? Sem água não dá para viver”, lamenta.

Especialistas acreditam que com a reforma da rede de distribuição e a construção de uma represa mais moderna, seria possível resolver o problema na região. Já o renomado estudioso de geleiras, Edson Ramírez alerta.

“Os efeitos das mudanças climáticas estão aparecendo muito rapidamente. Não sei se teremos tempo para responder. A obra de um novo reservatório leva de cinco a sete anos para ficar pronta”, comenta.

Ramírez lembra que o desaparecimento da geleira Chacaltaya foi previsto para 2020, mas ele sumiu em 2009. Só sobraram as encostas rochosas das montanhas.

Chacaltaya era considerada a estação de esqui mais alta do mundo, localizada a mais de cinco mil metros acima do nível do mar. O local funcionou de 1939 até 2005.

As geleiras bolivianas podem ser vistas de quase todos os lugares nas cidades de La Paz e El Alto. O processo de desaparecimento provoca um sentimento de perda nos bolivianos semelhante ao das torres gêmeas para os nova-iorquinos.

“Ver esta mudança me enche de tristeza”, conta o guia turístico da capital Gonzalo Jaimes.

Site G1

09/01/10 - 09h00 - Atualizado em 09/01/10 - 09h00

Vídeo - Elisabeth Rosenthal / Do 'New York Times'





Arqueólogos encontram em Israel sinagoga da época de Jesus Cristo


Israelenses descobriram no domingo as ruínas do que eles acreditam ser uma das mais antigas sinagogas do mundo.

Arqueólogos israelenses descobriram no domingo as ruínas do que eles acreditam ser uma das mais antigas sinagogas do mundo. Segundo a arqueóloga Dina Avshalom-Gorni, as ruínas descobertas no norte de Israel são da época do Segundo Grande Templo de Jerusalém, entre os anos 50 antes de Cristo e 100 depois de Cristo.

O local das escavações, a praia de Migdal, na costa do Mar da Galiléia, é citado tanto em escrituras judaicas quanto cristãs. Clique aqui para ver vídeo sobre a decoberta .

Durante os trabalhos, os arqueólogos encontraram uma pedra gravada com uma imagem de uma menorá, o candelabro de sete velas utilizado em cerimônias religiosas judaicas.

A menorá é um símbolo do judaísmo de mais de 3 mil anos e também o emblema nacional de Israel.

A imagem gravada na pedra encontrada nas escavações aparece em cima de um pedestal e ladeada por ânforas. Segundo os arqueólogos, esta é a primeira vez que uma imagem de uma menorá é encontrada em uma escavação fora de Jerusalém.

A cidade de Migdal, sob o nome aramaico de Magdala, é citada nas escrituras cristãs como o local de nascimento de Maria Madalena, uma das mulheres que acompanharam Jesus Cristo e que depois foi tornada santa pela Igreja Católica.

Segundo Avshalom-Gorni , é possível supor que a comunidade que seguiu Jesus na Galiléia frequentava a sinagoga descoberta.


Durante os trabalhos, os arqueólogos encontraram uma pedra gravada com uma imagem de uma menorá, o candelabro de sete velas utilizado em cerimônias religiosas judaicas.

A menorá é um símbolo do judaísmo de mais de 3 mil anos e também o emblema nacional de Israel. A imagem gravada na pedra encontrada nas escavações aparece em cima de um pedestal e ladeada por ânforas.

Segundo os arqueólogos, esta é a primeira vez que uma imagem de uma menorá é encontrada em uma escavação fora de Jerusalém.

Maria Madalena

A cidade de Migdal, sob o nome aramaico de Magdala, é citada nas escrituras cristãs como o local de nascimento de Maria Madalena, uma das mulheres que acompanharam Jesus Cristo e que depois foi tornada santa.

Segundo Avshalom-Gorni , é possível supor que a comunidade que seguiu Jesus na Galiléia frequentava a sinagoga descoberta.


Aeroporto de Frankfurt cancela mais de 200 voos por causa da neve

Previsão para o fim de semana era de mais nevascas

A neve e o mau tempo continuam afetando o sistema de transportes na Alemanha. No aeroporto de Frankfurt, o maior da Alemanha, 226 voos foram cancelados.

Muitos passageiros permanecem no aeroporto enquanto tratores tentam limpar as pistas de pouso e decolagem.

A previsão é de que uma forte tempestade de neve atinja o país em breve. Os moradores foram aconselhados a comprar suprimentos essenciais para durar até quatro dias.

Muitos outros países foram afetados pela onda de frio na Europa. Quase 140 pessoas morreram congeladas nas últimas semanas na Polônia, e na Suíça, o tráfego de caminhões foi suspenso nos túneis dos Alpes, por causa da neve.

O Eurostar, que liga a Grã-Bretanha à França e à Bélgica, passando pelo Canal da Mancha, havia anunciado um serviço reduzido neste sábado.
A empresa de trens pediu aos passageiros que cancelassem ou adiassem suas viagens, se possível.

‘Paralisado’

Segundo o Departamento de Proteção Civil da Alemanha (BBK, na sigla em alemão), as fortes nevascas durante o fim de semana poderiam provocar cortes de energia e afetar gravemente o serviço de transporte público.

Mais de 300 acidentes de carro foram registrados no Estado de Baden-Wuerttemberg, no sudoeste, com mais de 40 pessoas feridas, segundo a agência de notícias Associated Press.

No Estado de North Rhine-Westphalia foram registrados 108 acidentes, enquanto na fronteira com a França, perto de Freiburg, centenas de caminhão passaram horas parados depois que as autoridades francesas fecharam as estradas por causa da neve.

Na sexta à noite, o aeroporto de Nuremberg foi fechado por algum tempo, depois que um avião da Air Berlin com 133 pessoas a bordo derrapou para fora da pista e ficou preso na neve. Ninguém ficou ferido no incidente.

A expectativa é de que fortes ventos e neve paralisem o tráfego em várias regiões da Alemanha. A falta do sal usado para derreter a neve nas ruas deve piorar ainda mais a situação em algumas regiões.

“O tempo previsto para o fim de semana pode levar a condições caóticas de trânsito e, potencialmente, deixar grandes áreas da Alemanha paralisadas”, advertiu o Auto Club Europa.

Os aeroportos convocaram funcionários extras e as operadoras ferroviárias advertiram para possíveis atrasos. A neve já chegou a mais de 30cm na ilha de Ruegen, no Mar Báltico, informou a rede de TV ZDF.

As autoridades recomendaram aos alemães que, além dos suprimentos, mantenham em casa combustível de cozinha alternativo para o caso de cortes de energia. Entre os produtos essenciais listados pelo BBK, está um rádio de pilhas para acompanhar a previsão do tempo.

Nos Alpes, os movimentados túneis Gotthard e San Bernardino foram fechados temporariamente para o tráfego de caminhões na sexta-feira, segundo informações do site de notícias Swissinfo.

Na Grã-Bretanha, o pior inverno em décadas aumentou a preocupação com as reservas de gás, depois que a temperatura chegou a -22C na Escócia.

A British Airways cancelou 54 voos do aeroporto de Heathrow no sábado. A expectativa era de atrasos em outros aeroportos. A empresa Easyjet também cancelou alguns voos.

Na Holanda, as autoridades usaram navios especiais para quebrar o gelo em rotas de navegação no canal Twente, nos portos de Almelo e Enschede e em Ijsselmeer.
A previsão é de mais neve forte no norte da Espanha e na França.


www.bbc.co.uk/portuguese/

Atualizado em 9 de janeiro, 2010 - 18:05 (Brasília) 20:05 GMT

Descobertos 50 esqueletos de astecas no México


Arqueólogos mexicanos encontraram uma vala comum com 50 esqueletos do que acredita-se terem sido guerreiros astecas mortos no século 16, durante a invasão espanhola.

A descoberta foi feita no complexo de Tlatelolco, considerado o maior sítio arqueológico da Cidade do México.

Arqueólogos mexicanos descobrem cova asteca do século 16
Publicado por Editorial [MisteriosAntigos] em 3/9/2009

mais...

Restos humanos foram encontrados sob pirâmide (Foto: divulgação INAH)

Arqueólogos do Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH) do México anunciaram a descoberta de uma cova maciça contendo os restos mortais de 50 índios astecas embaixo dos restos da pirâmide de Tlatelolco, perto da Cidade do México.

A cova é do século 16 e os arqueólogos acreditam que os restos mortais sejam de guerreiros astecas que teriam resistido à tomada de Tlatelolco pelo colonizador Hernán Cortés, ou de índios mortos pela peste bubônica trazida pelos espanhóis nos anos de 1545 e 1576.

Segundo o INAH, este é um complexo funerário único na história arqueológica de Tlatelolco por causa da elaboração e da ordem com que os corpos foram dispostos, das dimensões da cova (10 metros por quatro metros), da época a que pertence e da posição dos enterros.

Os restos têm características da população pré-hispânica, mas os corpos teriam sido enterrados seguindo as tradições católicas da época, todos com a boca para cima e os braços cruzados sobre o peito.

"Os corpos foram enterrados em estilo europeu, o que demonstra grande cuidado dos espanhóis com os corpos. Parece que um padre católico teria supervisionado o funeral", disse o diretor da zona arqueológica de Tlatelolco, Guilliem Arroyo.

Escavações

Os arqueólogos demoraram décadas para completar as escavações, já que seu trabalho foi interrompido várias vezes por conta de alertas de terremotos.

Arroyo disse que a descoberta foi feita no fim de 2008. O sítio arqueológico de Tlatelolco é considerado o maior da Cidade do México.

Além dos restos mortais foram encontradas peças de cerâmica - 85% delas corresponderiam ao período pré-hispânico e o restante ao período colonial, segundo o INAH.

Também foram descobertos objetos de madeira laminada, cravos de metal e alguns botões feitos de osso, um anel e um colar de cobre entre outros objetos.

Segundo Arroyo o tipo de dentição mostra que os restos eram de indígenas, mas que estariam associados a elementos coloniais.

O INAH agora está registrando e classificando sistematicamente os restos humanos com o objetivo de esclarecer sua origem.

Fonte:

BBC Brasil

Atualizado em 11 de fevereiro, 2009 - 15:04 (Brasília) 17:04 GMT

www.misteriosantigos.com

INAH

Egito mostra múmias recém-encontradas - Descobertas Arqueológicas

.
Arqueólogos no Egito mostraram novas imagens de sarcófagos descobertos nas últimas semanas em escavações em uma colina ao sul da capital, Cairo.
.
O chefe da equipe de arqueólogos egípcios, Abdel-Rahman Al-Ayedi, disse: "Nós descobrimos 53 tumbas de pedra.
.
As tumbas continham caixões de madeira e, dentro deles, encontramos vários sarcófagos de múmias coloridos."


Segundo ele, as múmias datam de milhares de anos, incluindo vários períodos da Antiguidade egípcia.

Algumas das tumbas foram construídas encima de cemitérios de eras anteriores.

Os arqueólogos dizem que as escavações perto do oásis de Fayoum mostram que o ritual da morte foi ficando cada vez mais elaborado a cada dinastia.

Nos últimos meses foram descobertas várias múmias no Egito. Os arqueólogos esperam começar em breve escavações na costa norte do país. Eles procuram a tumba de Cleópatra.

BBC Brasil

Atualizado em 27 de abril, 2009

11:31 (Brasília) 14:31 GMT

Maquiagem de Cleópatra pode ter sido medicinal, diz estudo

A maquiagem pesada usada por egípcios na Antiguidade, como a famosa
rainha
Cleópatra, pode ter tido uma finalidade medicinal, e não apenas estética, de
acordo com um estudo do Centro Nacional para Pesquisa Científica da França
(CNRS).


Uma imagem popular de Cleópatra é a representada por Elizabeth Taylor

Os pesquisadores analisaram amostras de cosméticos encontrados em tumbas
egípcias e seguiram receitas antigas contidas em relatos de autores greco-romanos e descobriram que eram usados sais que levavam à produção de óxido nítrico - uma substância que estimula o sistema imunológico para combater infecções oculares.

Os sais incluíam chumbo, que faz mal à saúde, mas os cientistas do CNRS e do Museu do Louvre descobriram que em doses muito baixas ele pode ter um efeito benéfico.

Os pesquisadores analisaram amostras de cosméticos encontrados em tumbasO chefe da equipe de pesquisa, Philippe Walter, disse: "Nós sabíamos que os antigos gregos e romanos também tinham percebido que a maquiagem tinha propriedades medicinais, mas queríamos determinar exatamente como funcionava."

Os pesquisadores usaram um minúsculo eletrodo, mais fino do que um fio de cabelo, para examinar os efeitos do sal de cloreto de chumbo sintetizado pelos egípcios - laurionita - em uma única célula.

Em artigo na revista Analytical Chemistry, os cientistas escreveram: "Ao estimular defesas imunológicas não-específicas, pode-se argumentar que estes compostos de chumbo era manufaturados deliberadamente e usados em fórmulas egípcias antigas para prevenir e tratar de males dos olhos, promovendo a ação das células imunológicas."


BBC Brasil

Atualizado em 9 de janeiro, 2010 - 15:01 (Brasília) 17:01 GMT

sábado, 9 de janeiro de 2010

A Explosão de uma Super Nova no Espaço, Pode Acabar a Vida na Terra

Supernova
Tempo Astronômico

De acordo com O astrônomo Edward Sion, da Universidade de Villanova, nos Estados Unidos, Uma T Estrela Pyxidis parece destinada a explodir com força para se transformar em uma supernova - Dentro de mais ou menos 10 milhões de anos.

Supernovas são corpos celestes que surgem depois de Explosões de estrelas com mais de 10 massas solares.

Além disso, os cientistas descobriram que a estrela não está a 6,000 anos-luz da Terra, como indicavam os cálculos anteriores, mas a apenas 3,260 anos-luz.

Segundo Sion, a transformação da T em Pyxidis uma supernova tipo 1a destruiria uma camada de Ozônio da Terra, tornando-a inabitável.

Fim da Camada de Ozônio?

Morte de uma Estrela

Mas nem todos concordam com Sion.

Alexei Fillipenko, da Universidade da Califórnia, Afirma que Sion teria utilizado os dados de uma erupção de raios gama (GRB - Gamma-ray burst) para calcular uma intensidade da radiação que atingiria a Terra, destruindo a camada de Ozônio.

Segundo Sion e seus colegas, com uma explosão força estimada de 20 bilhões de bilhões de bilhões de megatons de TNT, a uma distância de 3,260 anos-luz, sobre uma jogaria Terra um nível de radiação gama equivalente a 1,000 erupções solares, o que seria suficiente para destruir uma camada de Ozônio, deixando o planeta vulnerável uma outras radiações CÓSMICAS, eventualmente destruindo toda a vida.

Contudo, com base nenhum conhecimento atual, não há motivos para crer que um Pyxidis T, eventualmente Transformada em supernova, gerasse uma erupção de raios gama. Com base na emissão de raios gama que se espera - caso uma estrela de fato torne-se uma supernova tipo 1a - Ela Deveria estar pelo menos 10 vezes mais próxima para causar tanto dano.


Periódicas Explosões

Dados da sonda espacial International Ultraviolet Explorer que mostraram um T Pyxidis não é uma estrela única, mas um sistema binário formado por uma estrela brilhante e por outra, menor e mais densa, do tipo anã branca.

A anã branca está ganhando massa com o gás absorvido da estrela vizinha. O eventual surgimento da supernova depende da continuidade desse ganho de massa, que ultrapasse até ele 1,4 vezes a massa do Sol, o chamado Limite de CHANDRESEKHAR.

Ocorre que, Periodicamente, uma anã branca EJETA massa na forma de erupções de energia, que atuam na contramão desse processo. A estrela vinha apresentando Explosões ritmadas, em intervalos de aproximadamente 20 anos - foram detectadas Explosões em 1890, 1902, 1920, 1944 e 1967.

Futuro incerto

Mas um T Pyxidis não apresenta Explosões há 44 anos, e os astrônomos não Tem uma explicação para isso. Para Sion, isso é um indicativo de que uma anã-branca está acumulando massa, caminhando na direção de se Tornar uma supernova 1a. Se, e somente se, continuar esse ritmo, dentro de mais ou menos 10 milhões de anos, uma T Pyxidis PODERÁ SE TORNAR uma supernova.

Uma supernova tipo 1a libera cerca de 10 milhões de vezes mais energia do que uma explosão de uma nova, uma explosão que Ocorre quando as estrelas comuns chegam ao fim de suas vidas origem, dando um anas brancas, como a que compõe o sistema binário T Pyxidis.

As Explosões que originam anas brancas são muito mais comuns no Universo do que que originam como as supernovas.

OBS:
.
Geralmente quando abordamos temas como este relacionado a Astronomia e que começa a aprofundar o nível de conhecimento, o vocabulário das palavras que tem uma linguagem sia própriada Ciência Astronômico, PODERÁ ocorrer dos leitores por parte uma certa dificildade de compreeender o tema de uma forma mais clara .
.
Então não se preocupem que teremos postagens em outras iremos explicitar que todas as palavras que ficaram por sua vez na icognita alguma dúvida com ou.
.
Então como dever de casa vou deixar que Busquem aquilo que mas lhe deixou cabreiro. Por exemplo:
.
01 - O que é uma supernova?
02 - Como ocorre o nascimento ea morte de uma estrela?
03 - Qual a origem das Anas Brancas?
04 - O Sistema Binário?
05 - A Camada de Ozônio?
06 - O que ano-luz?.
.
Estão Explosões dessas com medo? Pois eu irei aprofundar aqui o estudo do Universo Misterioso, onde muitos Irão dormir com medo!
.
Ehehehehehehehehehe! Gente é brincadeira, mas quanto ao aprofundamento Apesar de eu não ser astronoma, foi uma das disciplinas que estudamos no curso de Geografia e que acho bastante interessante.
.





O Inverno chegou em Luxemburgo com neve, frio e problemas no trânsito

O fim de semana foi de neve no Luxemburgo. Encheu as ruas de branco trazendo também
complicações no trânsito e no aeroporto.

A neve obrigou o encerramento do aeroporto de Findel durante mais de três horas. Entre as 12:40 e as 15:45 nenhum avião levantou ou aterrou no Luxemburgo, tendo perturbado os voos da Luxair e da Luxembourg Airlines.

Apenas um voo foi cancelado – o LG6573 para Turim, mas a situação provocou atrasos nas partidas e nas chegadas que podem ainda atrapalhar o dia de hoje. As companhias aconselham portanto a consulta dos horários na internet para saber a evolução em tempo real.

Os vários centímetros de neve causaram ainda muita lentidão nas estradas. Tanto nas autoestradas com nas estradas secundárias, os limpa-neves fizeram quase sempre parte da paisagem.

Os relatórios policiais relatam cinco veículos que sairam fora de estrada e outros dois acidentes. A mais dramática aconteceu na descida para Oetrange em que o condutor perdeu o controlo de veículo e entrou com o carro num jardim de uma casa. Não houve feridos.

Nas autoestradas, apesar de ainda não ter sido adiantada qualquer informação oficial pela CITA, há relatatos de um acidente que bloqueou a ligação com Munsbach mas que entretanto já foi resolvido.

Também a estação ferroviária do Luxemburgo se ressentiu com o mau tempo. Embora não tenha havido cancelamentos, há alguns atrasos a registar.

Mas a neve causou problemas por toda a Europa.No maior aeroporto alemão, em Franfurt, o mau tempo levou ao cancelamento de 30 voos e 15 foram desviados para Stuttgart ou Munique, disse ontem um porta-voz. Também os aeroportos de Charleroi, Liège e Bruxelas foram afectados várias horas.

O frio tem ainda causado a morte a várias pessoas. Em Itália os termómetros desceram a graus nunca antes vistos, tendo batidos recordes de menos 25 graus na região central do país. Duas pessoas morreram porque se tentaram aquecer com aquecedores com defeitos.

Na Polónia, 15 pessoas morreram nas ruas. Um porta-voz da Polícia alertou a população para o caso dos sem-abrigo e para a importância da assistência. Desde Dezembro já 47 pessoas morreram de frio nas ruas polacas.

Outros artigos desta rubrica

Onde trabalham os luxemburgueses? Adivinhou, é no sector público

Ler o artigo

O fim de semana foi de neve no Luxemburgo. Encheu as ruas de branco trazendo também complicações no trânsito e no aeroporto.

21/12/2009, Vera Monteiro.

Bom Dia News




quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

China tem o comboio mais rápido do mundo (vídeo)


A China mostrou ao mundo o «Harmony Express», o comboio mais rápido do mundo. Mais rápido do que o TGV, com média de 350 km/h.

A viagem inaugural, de 1068 km, entre Wuhan e Guangzhou, foi realizada neste sábado, cumprindo-se em menos de três horas (anteriormente a viagem era feita em onze horas).

O novo comboio-bala liga a China Central ao delta do rio Pérola e cidades mais pequenas. Até 2012, o governo planeia instalar mais 42 linhas de alta velocidade, numa tentativa de fomentar o crescimento económica no país.
China launches world's fastest train


Década de 2000 foi a mais quente em 160 anos, diz estudo


A primeira década do século foi até agora a mais quente dos registros do escritório britânico de meteorologia, o Met Office.

Novos dados divulgados nesta terça-feira mostram que, embora 1998 tenha sido o ano mais quente desde 1850, a década de 2000-09 foi a que registrou maiores temperaturas neste período de 160 anos.

A década do ano 2000 superou em 0,40 ºC a média de 1961-1990, de 14ºC.
Isto quer dizer que esta década foi mais quente que os anos 1990, que ficou 0,23ºC acima da média usada para comparação e registrou, por sua vez, temperaturas mais altas que os anos 1980.

"Estes números sublinham que o mundo continua a registrar aumentos de temperatura, principalmente devido à elevação das emissões de gases que causam o efeito estufa na atmosfera", disse o Met Office, em seu comunicado.

Para o órgão, os dados mostram que "o argumento de que o aquecimento global já parou é falho".

As informações foram divulgadas em Copenhague, no segundo dia da reunião da ONU que procura buscar um acordo de redução de gases estufa em substituição ao Protocolo de Kyoto, que expira em 2012.

Em um estudo separado, a Organização Mundial de Meteorologia (OMM) divulgou uma medição quase igual à do Met Office e estimou que o ano de 2009 já é o quinto mais quente da sua medição, que também remonta a 1850.

Através desses gráficos, podemos ver a elevação do calor e da temperatura, evidenciando a média da temperatura global de 1950 a 2009. Comprovando assim que a década de 2000, é a mais quente.

Segundo o estudo, o ano foi de temperaturas acima do normal na maior parte dos continentes.

"Climas extremos, incluindo enchentes devastadores, secas rigorosas, tempestades de neve, ondas de calor e de frio foram registrados em várias partes do mundo", afirmou o relatório.



América do Sul

Na América do Sul, Austrália e sul da Ásia, os eventos de calor extremo chamaram atenção. O outono na região austral, que inclui o sul do Brasil, Uruguai, Argentina e Paraguai, registrou "calor extremo", disse a organização.

Entre março e maio, foram registradas temperaturas diárias que alcançaram 30ºC e 40ºC, que bateram recorde diversas vezes.

No fim de outubro, o norte e o centro da Argentina foram afetados por uma extrema seca, com temperaturas acima de 40ºC, enquanto o sul da região viu precipitações de neve, raras e fora de época.

Já no Ártico, durante a estação sazonal de derretimento, a camada de gelo chegou ao seu terceiro menor nível desde que a medição começou, em 1979 - 5,1 milhões de quilômetros quadrados.

Essa extensão só foi maior que a dos anos de 2007 (4,3 milhões de quilômetros quadrados) e 2008 (4,67 milhões de quilômetros quadrados), que bateram recorde de perda de gelo.

"Estamos em uma tendência de aquecimento, não há dúvida disso", disse o diretor-geral da (OMM), Michel Jarraud.

BBC Brasil

Última atualização: 8/12/2009 7:34

Década de 2000 é a mais quente em 160 anos, afirmam cientistas (Jornal Nacional - Globo)


Os habitantes de Pequim preparam-se para enfrentar a semana mais fria das últimas décadas, com uma cidade coberta de neve e as temperaturas máximas uma descerem aos 16 graus negativos, escreve a Lusa.

Devido ao forte Nevão que caiu No fim-de-semana, durante quase 24 horas consecutivas, o governo municipal Decidiu Manter fechadas hoje as escolas primárias e secundárias.

Mais de 7,000 agentes da polícia foram mobilizados Para controlar o trânsito nas principais vias da cidade, disse a agência oficial chinesa Noticiosa.
Os habitantes de Pequim preparam-se para enfrentar a semana mais fria das últimas décadas, com uma cidade coberta de neve e as temperaturas máximas uma descerem aos 16 graus negativos, escreve a Lusa.

Devido ao forte Nevão que caiu No fim-de-semana, durante quase 24 horas consecutivas, o governo municipal Decidiu Manter fechadas hoje as escolas primárias e secundárias.

Mais de 7,000 agentes da polícia foram mobilizados Para controlar o trânsito nas principais vias da cidade, disse a agência oficial chinesa Noticiosa.

O Frio Rigoroso em Pequim

Temperatura máxima em Pequim é de 16 graus negativos.
Escolas estão fechadas Devido a Nevão
Os habitantes de Pequim preparam-se para enfrentar a semana mais fria das últimas décadas, com uma cidade coberta de neve e as temperaturas máximas uma descerem aos 16 graus negativos, escreve a Lusa.

Devido ao forte Nevão que caiu No fim-de-semana, durante quase 24 horas consecutivas, o governo municipal Decidiu Manter fechadas hoje as escolas primárias e secundárias.

Mais de 7,000 agentes da polícia foram mobilizados Para controlar o trânsito nas principais vias da cidade, disse a agência oficial chinesa Noticiosa.
Frio provoca transtornos na Ásia


Maior emissora de CO2, Amazônia não tem controle sobre gases poluidores


Para especialistas, controle é essencial para execução de políticas.
Governo anunciou meta de reduzir até 38,9% da emissão de gases.

Os estados da Amazônia não têm informações precisas sobre a emissão de gases de efeito estufa, de acordo com informações fornecidas ao G1 pelos governos estaduais.

Segundo estimativa do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas, a região emite cerca de 60% do dióxido de carbono (CO2) gerado no país.

Queimadas são um dos principais fatores de emissão de CO2 na região da Amazônia (Foto:
Iberê Thenório/Globo Amazônia)

O CO2 é um dos gases causadores do efeito estufa, que prejudicam o meio ambiente. A Amazônia é uma grande emissora de CO2 por conta do desmatamento e das queimadas. Gases-estufa também estão presentes nas indústrias, na agricultura, na pecuária e na fumaça dos veículos.

O G1 fez um levantamento das ações dos estados da Amazônia Legal (Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima, Mato Grosso, Tocantins e Maranhão) para redução de emissão de gases poluidores. Desses estados, a reportagem não conseguiu contato com a assessoria do governo do Amapá.

Também consultou governos de estados com áreas de Cerrado (Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Bahia); e alguns dos mais industrializados do país (São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Rio Grande do Sul). A assessoria do estado de Goiás informou que não dispunha dos dados solicitados.

De todos os 17 estados consultados, somente dois afirmaram ter dados sobre a emissão de gases de efeito estufa: São Paulo e Rio de Janeiro, que dizem ter feito inventários sobre a emissão em 2005. Muitos dos demais, têm planos de realizar inventários no próximo ano.

Na maioria dos casos, o único controle sobre os gases de efeito estufa é uma estimativa sobre a emissão de CO2 com base nos dados de queimadas e de desmatamento.

Para os especialistas consultados pelo G1, a falta de informações precisas prejudica a implantação de políticas públicas e a adoção de metas de redução.

Dados Federais
Os dados oficiais mais recentes do governo federal sobre emissão de gases de efeito estufa são de 1994. Uma estimativa foi realizada pelo Ministério do Meio Ambiente recentemente e considera os setores que mais emitem gases.
.
Os dados se baseiam no inventário oficial em produção pelo Ministério de Ciência e Tecnologia que deve ser concluído em 2011. Na avaliação do coordenador da campanha de clima do Greenpeace, João Talocchi, "não se tem ideia" precisa "do tamanho do problema".
.
"Às vezes essas metas essas metas são políticas, mas não se tem ideia de quanto significa ou como fazer essa redução."Para Talocchi, o controle por parte do governo é "muito importante". "Tem de controlar chaminés, carros e podem controlar com mais facilidade a emissão se adotarem desmatamento zero.
.
Não significa evitar a derrubada de toda e qualquer árvore, mas ter subsídios para investir na educação ambiental. Quando entender o que tem para fazer, pode trazer benefícios para o país.
.
" Secretário-executivo do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas, o professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e diretor do Coppe, Luiz Pinguelli Rosa, disse que o governo consegue ter uma estimativa com base no desmatamento da Amazônia e que a região mais complexa de se obter dados é o Cerrado.
.
"A maior contribuição do país para emissão é o desmatamento, não a indústria. Dados de 2004 apontam que a Amazônia representava 75% da emissão de CO2.
.
A proporção deve ter diminuído, porque houve diminuição do desmatamento e incremento da atividade industrial. Mas a Amazônia ainda deve representar 60% das emissões", estima Pinguelli. Para Pinguelli, o controle das emissões por parte dos estados poderia contribuir para melhorar as ações ambientais.
Desmatamento


O controle do desmatamento é apontado como a principal ação dos governos para a redução das emissões de gases.

Dados divulgados na quinta (12) pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), revelam uma redução de 45% no desmatamento registrado nos estados que integram a Amazônia Legal. A margem de erro é de 10%, e os números finais devem ser consolidados em março do próximo ano.

No Mato Grosso, o acompanhamento do desmatamento é a forma para contribuir para redução da emissão, segundo Salatiel Alves de Araújo, secretário-adjunto de Qualidade Ambiental. "Formamos um Fórum de Mudanças Climáticas e estamos efetuando levantamento. Mas a correlação entre o que é desmatado e o que é emitido de CO2 é usado para nossa estimativa de emissões."

Na Bahia, o estado está em fase de conclusão de licitação para um zoneamento econômico ecológico para identificar, entre outras coisas, os locais de maior emissão de gases de efeito estufa.

"Como não temos diagnosticado o que está sendo emitido, fica difícil estabelecer uma meta de redução. Como não temos série histórica do número de emissão dos últimos anos, não sabemos quais setores tiveram mais incremento. (...) Mas temos plano com uma série de ações, como avaliar toda matriz energética do estado", afirmou o secretário de Meio Ambiente da Bahia, Juliano Matos.

Em Rondônia, o acompanhamento da emissão de gases de forma global não é feito por conta do alto custo. "Desejamos reduzir o índice de desmatamentos e queimadas, que mais contribuem para emissão. (...) Além disso, temos termoelétricas, cerâmicas, mas o valor de emissão dos setores não é tão significativo que compense o acompanhamento porque são equipamentos caros", disse o engenheiro Arquimedes Ernesto Longo, da Secretaria de estado do Meio Ambiente.

O assessor técnico Cláudio Flores, da secretaria de Meio Ambiente do governo do Pará, concorda que há falta de informações precisas sobre emissão de gases, mas afirma que os estados da Amazônia estão "no rumo certo".

"Na Amazônia Legal temos realidade muito específica ligada a derrubada da floresta e a meta se refere à redução do desmatamento, que leva a redução da emissão de gases."

Flores afirmou que há acordo entre o Fórum de Governadores da Amazônia e cidades norte-americanas sobre redução de emissão de gases causadores do efeito estufa. "É claro que a Califórnia, em função do poder econômico, tem mais ferramenta e tecnologia para calcular a emissão. Mas estamos trabalhando para ter condições de conhecer exatamente qual é nossa situação ambiental."

Celebridades se juntam em prol da COP15

A campanha Tck, Tck, Tck lançou um vídeo que conta com 60 músicos e estrelas do cinema, cantando “Beds Are Burning” para dar maior visibilidade a Conferência em Copenhague (COP15), em dezembro, onde líderes do mundo inteiro se reunirão com a pretensão de criar um novo acordo climático.

“Como podemos dançar se o mundo está virando? Como podemos dormir se a nossa cama está queimando?” Esses são os pontos questionados na letra da música.

Entre os artistas estão Lily Allen, Jamie Cullum, Fergie, Milla Jovovich, Manu Katche e Bob Geldof. O vídeo é também pretende incentivar a sociedade a se organizar, se informar e a partir disso tornar o mundo um lugar melhor. A música, assim como o vídeo estão disponíveis no site da campanha.

“Cada download” diz o site “mostra que as pessoas estão prontas para um ambicioso, justo e fundamental acordo climático em Copenhague em dezembro”.

Será que isso ocorreu?

G1 - Globo.Com

14/11/09 - 07h15

Beds Are Burning - 'TckTckTck - Time for Climate Justice' Campaign




quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Nevascas continuam castigando a China

Nevascas continuam castigando a China

Camada de neve atingiu 30 centímetros na capital, Pequim.
Cidade deve encarar o pior frio em décadas, diz imprensa.

Da AFP, em Pequim

Mais de 3.500 escolas permaneceram fechadas e os transportes continuavam prejudicados no norte da China nesta segunda-feira (4) após dois dias de nevascas, com temperaturas de até 32 graus abaixo de zero.

Pequim acumulou até 30 cm de neve, assim como a cidade de Tianjin, durante o fim de semana, o que representa as nevascas mais intensas na região em 50 anos.

Em Pequim, a temperatura deve cair a 16 graus negativo, o frio mais rigoroso em décadas na capital, segundo o jornal "China Daily".

Turistas tiram fotos nesta segunda-feira (4) em parque coberto pela neve em Pequim,
capital chinesa. (Foto: AP)

Os voos com chegada e saída de Pequim seguiram prejudicados nesta segunda-feira, com mais de 100 atrasos e 20 cancelamentos. O tráfego nas estradas também se via dificultado pelo clima.

A neve também afeta a Coreia do Sul, provocando um caos no transporte aéreo e terrestre.

G1 - 04/01/10 - 08h18


Interior da Antártida também sofre com aquecimento global, diz estudo

Dados anteriores pareciam sugerir que continente estava esfriando.
Na verdade, aquecimento é geral, com destaque para oeste antártico.

A Antártida costumava ser citada como uma rara exceção ao aquecimento global -- o único continente do mundo onde as últimas décadas haviam registrado um resfriamento médio.

Essa impressão não passava de equívoco, de acordo com um novo e revelador estudo: a Antártida continental, na verdade, está esquentando no mesmo ritmo que o resto do planeta, ao menos pelo que se pode medir nos últimos 50 anos.

Os dados estão num artigo da edição desta semana da revista científica britânica "Nature". No trabalho, uma equipe americana capitaneada por Eric J. Steig, da Universidade de Washington em Seattle, e Drew T. Shindell, da Nasa e da Universidade de Columbia, parecem ter conseguido superar uma limitação antiga: a falta de dados climáticos do interior do continente antártico.

É que a imensa maioria das estações climáticas da Antártida estão no litoral, o que dificulta a obtenção de informações confiáveis sobre o que está acontecendo com o clima das regiões mais próximas do pólo Sul.

"Por outro lado, nos últimos 25 anos, nós temos uma boa quantidade de dados de satélite, mas havia a preocupação de eles não capturarem exatamente as mudanças de temperatura na superfície.

O que nós fizemos foi correlacionar os dados de satélite com os das estações em solo, e o que vimos é que há uma excelente concordância entre eles. Ou seja, os dados de satélite são confiáveis", declarou Eric Steig em entrevista coletiva por telefone.

Antes, a corrente predominante entre os climatologistas via um aquecimento considerável na península Antártica (a língua de terra firme e ilhas que o continente estende na direção da América do Sul) e um resfriamento predominante no continente antártico propriamente dito.

Parecia que os ventos marítimos estavam levando umidade e calor para península, enquanto o interior da Antártida ficava cada vez mais isolado.

Ilustração mostra, em vermelho escuro, a área do continente antártico que mais esquentou, embora o processo seja generalizado (Foto: E.J. Steig/Nasa)
Corrente principal

"No entanto, o que nós vimos agora é que a influência predominante para todo o continente é mesmo o do aumento dos gases-estufa na atmosfera, o que está gerando o aquecimento", afirmou Drew Shindell durante a entrevista coletiva.

O efeito é mais pronunciado na Antártica Ocidental, que esquentou 0,5 grau Celsius nos últimos 50 anos -- ligeiramente abaixo da média mundial no mesmo período, que foi de 0,6 grau Celsius. No acumulado do último século, no entanto, a Antártica Ocidental ganharia se essa taxa foi constante nas décadas anteriores, já que o total do aquecimento lá seria de 1 grau Celsius contra 0,8 grau Celsius no mundo todo.

Já a Antártica Oriental também esquentou, mas menos, diz Steig. Ele ressalta que as duas regiões do continente são bem diferentes. "É como se a Antártica Ocidental fosse Seattle e a Oriental fosse a Dakota do Norte", diz ele -- respectivamente, Seattle, na Costa Oeste dos EUA, é úmida, chuvosa e influenciada pelo mar, enquanto a Dakota do Norte tem terreno mais elevado, seco e continental, isolado do oceano, daí a comparação.

O último relatório do IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática, órgão da ONU) dizia ver sinais claros de aquecimento causado pela ação humana em todos os continentes do mundo, "exceto na Antártida". Já dá para dizer que essa afirmação precisa ser reformulada?

Os autores do novo estudo preferem ser cautelosos, já que os dados climáticos da Antártida são relativamente recentes -- para ter certeza, o ideal é ter mais do que apenas 50 anos de informações. Mas a probabilidade de que o aquecimento ali também seja obra humana aumenta consideravelmente.


Do G1 - São Paulo

Neve e gelo paralisam vários países da Europa

"Motoristas ficaram presos na neve em Hampshire, Grã-Bretanha"

Nevascas e frio continuam a castigar vários países da Europa nesta quarta-feira.
Na Grã-Bretanha, milhares de escolas fecharam e os sistemas de transportes foram seriamente afetados, com estradas bloqueadas, aeroportos fechados, voos cancelados e serviços de trens reduzidos.

As áreas mais atingidas são o centro-sul e o sudeste da Inglaterra, onde fica Londres, além do sul do País de Gales.

Segundo o Met Office, órgão oficial de meteorologia, as primeiras horas desta quarta-feira registraram entre 35 cm e 40 cm de neve no condado de Surrey.

Uma pesquisa realizada pela empresa de Direito Trabalhista Peninsula indicou que 44% dos empregados de 460 companhias decidiram trabalhar de casa.

O aeroporto de Gatwick, um dos mais movimentados do país, permanece fechado, enquanto em Heathrow os passageiros estão enfrentando atrasos e cancelamentos.

O Eurostar, que opera trens entre a Grã-Bretanha, a França e a Bélgica, está operando com atrasos.

França

No oeste da França, foram emitidos alertas meteorológicos para 14 regiões.
O Centro Regional de Transportes da França afirmou que as estradas secundárias em várias regiões, incluindo Bretanha, Cotes d'Armor e Finistere estão quase intransitáveis.

"A combinação de neve e gelo está dificultando muito a movimentação", afirmaram autoridades, segundo o jornal Le Point.

Mortes

A neve também atingiu fortemente o norte da Alemanha e a Polônia.
O número de mortos na Polônia, onde o frio chegou a 22º C negativos, aumentou para 122, a maioria deles seria de sem-teto.

No vilarejo de Burzyska nad Bugiem, leste do país, o Exército instalou pontes provisórias depois que enchentes e gelo isolaram a cidade.
A previsão é de mais neve até o final da semana.


BBC Brasil

Atualizado: 6/1/2010 13:57

Brasil é 38º em ranking internacional de qualidade de vida



"Corcovado"

O Brasil é o 38º país do mundo em qualidade de vida, segundo um ranking com quase 200 países publicado pela revista americana International Living.

A liderança do ranking, que leva em consideração nove itens - custo de vida, cultura e lazer, economia, ambiente, liberdade, saúde, infraestrutura, segurança e risco e clima - ficou com a França, pelo quinto ano consecutivo.

O Brasil subiu da 43ª posição no ranking de 2009 para a 38ª neste ano. Em 2008, o país havia ficado na 39ª posição.

As melhores avaliações do Brasil ficaram nos quesitos liberdade (83 pontos de 100 possíveis), risco e segurança (83) e clima (82). Os itens mais mal avaliados foram lazer e cultura (58 pontos de 100 possíveis) e infraestrutura (59).

Apesar disso, entre o ranking do ano passado e o deste ano, as notas para infraestrutura passaram de 47 para 59, enquanto a avaliação para a economia foi de 45 para 65.

Latino-americanos

O Uruguai, na 19ª posição do ranking, foi o país latino-americano mais bem avaliado, apesar de ter caído seis posições em relação ao ranking de 2009.
A Argentina, que caiu cinco posições e aparece em 26º lugar no ranking deste ano, é o segundo melhor país da região em termos de qualidade de vida, segundo a International Living.

À frente do Brasil no ranking, entre os latino-americanos, aparecem ainda Chile (31º lugar), Costa Rica (33º) e Panamá (34º). O Equador aparece apenas uma posição atrás do Brasil (39º), enquanto o México é o 46º colocado no ranking.

Entre os países mais bem avaliados, a Austrália pulou da quinta para a segunda posição no ranking entre o ano passado e este, enquanto a Alemanha subiu do oitavo para o quarto lugar.

Os Estados Unidos, por outro lado, caíram da terceira para a sétima posição.
O Japão, segundo país mais rico do mundo, aparece apenas no 36º lugar, apenas duas posições acima do Brasil.

O último lugar do ranking é ocupado pela Somália. Entre os 15 últimos do ranking, apenas um - Afeganistão - não é um país africano.


BBC Brasil

Atualizado: 6/1/2010 9:50