quarta-feira, 3 de março de 2010

Jovens vão para a rua cantar e animar jantar de Bento XVI


por RITA CARVALHO

Apesar de o Papa não ter um encontro específico com católicos mais novos, eles preparam festa de rua em Lisboa, frente à Nunciatura

Centenas de jovens prometem animar a passagem de Bento XVI por Lisboa. Apesar de não estar previsto nenhum encontro formal com o Papa, os movimentos juvenis da diocese estão a mobilizar-se para estar nos locais por onde ele vai passar. E prometem plantar-se à porta da Nunciatura Apostólica, onde Bento XVI vai jantar e dormir, com músicas e animação, até que este apareça à janela.

O coordenador da viagem de Bento XVI a Portugal, D. Carlos Azevedo, explicou ontem, em conferência de imprensa, que a idade avançada do Papa não lhe permite ter um programa sobrecarregado, não estando, por isso, previsto nenhum contacto especial com os jovens. Só os padres, as personalidades do mundo da cultura e os agentes da acção social terão essas audiências restritas. Mas, segundo o bispo auxiliar de Lisboa, a mobilização entre os jovens está a ser enorme e em Lisboa vários movimentos estão já a preparar-se para animar a estada de Bento XVI na Nunciatura com uma grande festa na rua.

Os católicos mais novos estarão ainda na animação das celebrações de Lisboa, Fátima e Porto. Muitos irão a pé até ao Santuário, onde Bento XVI presidirá à procissão das velas e às comemorações das aparições no dia 12. A coordenar o voluntariado e as equipas que farão cordões de segurança nas celebrações deverá estar o Corpo Nacional de Escutas, com capacidade para mobilizar centenas de escuteiros.

Na conferência de imprensa que se realizou ontem, o coordenador geral da visita estimou que 150 mil pessoas apareçam na missa do Terreiro do Paço, em Lisboa. Nas celebrações do Porto e do Santuário de Fátima não há previsões de participantes, mas ambos os locais têm capacidade para acolher 250 e 500 mil pessoas.

O momento mais emblemático deverá acontecer em Fátima, uma vez que a motivação da visita de Bento XVI passa pelo décimo aniversário da beatificação dos pastorinhos. Apesar da efeméride e de estar a correr o processo de beatificação da irmã Lúcia, D. Carlos Azevedo esclareceu que não se prevê nenhum "anúncio".

Manuel Morujão, porta-voz dos bispos, disse também ontem que a Igreja portuguesa já convidou as conferências episcopais de Espanha e dos PALOP para virem a Portugal de 11 a 14 de Maio, havendo já algumas confirmações. De Espanha espera-se a presença da hierarquia do clero, incluindo os cardeais de Madrid e de Barcelona, e de muitas centenas de fiéis.

Para os encontros com o mundo da cultura e da pastoral social vão começar a ser enviados agora os convites, e as presenças ficarão fechadas durante o mês de Março.

"Contigo caminhamos na esperança." É esta a mensagem temática da visita papal, que interpela Bento XVI mas também quer chegar directamente a todos os que a lêem. A imagem e o logotipo do evento, construídos por Xavier Neves, mostram o Papa a sorrir e a acenar, numa mensagem que se pretende de proximidade e humanidade. A mão quer simbolizar a comunicação, a bênção, mas também a esperança e o consolo.

D. Carlos Azevedo espera que esta visita sirva para "desinstalar alguns católicos adormecidos ou parados em beatismos sem espiritualidade". E lança o apelo: "Que Portugal se revista nas janelas e no corpo das pessoas para receber a visita do Papa e isso signifique disponibilidade interior para acolher a sua mensagem de esperança."

O programa oficial já está fechado e inclui a passagem pelas dioceses de Lisboa, Leiria-Fátima e Porto. Aí haverá três celebrações

DN Portugal
27-02-2010

Nenhum comentário: