sábado, 6 de março de 2010

Pinacoteca recebe a Coleção Brasiliana Itaú


As peças compõem um dos mais abrangentes acervos artísticos da história do Brasil

Marina Vaz, de O Estado de S.Paulo

Foi na década de 70 que o empresário Olavo Setubal começou a comprar pinturas, aquarelas, livros, objetos e documentos relacionados à história do Brasil desde a chegada dos portugueses. Mas, até agora, só poucos privilegiados tiveram acesso a esse acervo pessoal de cinco mil obras. Quase 40 anos depois do início do ‘hobby’ de Setubal (e um ano e meio após a sua morte), 300 itens da Coleção Brasiliana Itaú serão expostos na Pinacoteca do Estado, a partir deste sábado, 6.

As peças compõem um dos mais abrangentes acervos artísticos do período, só comparável ao da Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro. "Tudo o que se relaciona à arte do nosso passado está representado com peças desta coleção", avalia o curador Pedro Correa.

Entre as raridades, há uma tela pintada com tinta a óleo por Arnaud Julien Pallière que retrata a vista da cidade de São Paulo em 1821. Em ‘Segundo Casamento de D. Pedro I’, de 1829, Jean-Baptiste Debret ilustra o matrimônio do jovem monarca com D. Amélia.

A escravidão aparece em gravuras de Johann Moritz Rugendas, expostas ao lado de cartas de alforria e documentos de compra e venda de escravos. Há também manuscritos de governantes brasileiros, livros encadernados para a família real e moedas fabricadas em homenagem à coroação de D. Pedro I.

Com o fim da mostra, a Coleção Brasiliana não deve voltar a ficar trancada. Pelo menos não por muito tempo. Para 2011, há planos de expor parte do acervo no Itaú Cultural.

Onde: Pinacoteca do Estado. Pça. da Luz, 2, Luz, 3324-1000. Quando: 10h/18h (fecha 2ª). Abre sáb. (6), 11h. Até 2/5. Quanto: R$ 6 (sáb., grátis).

Estado.com
05-03-2010

Nenhum comentário: