domingo, 30 de maio de 2010

Vulcões forçam retirada de milhares no Equador e na Guatemala

"Vulcão Pacaya em erupção"


Milhares de pessoas foram forçadas a deixar suas casas e buscar refúgio após dois vulcões entrarem em erupção na Guatemala e no Equador.

As erupções provocaram o fechamento dos principais aeroportos dos dois países.
Na Guatemala, pelo menos duas pessoas morreram em consequência da entrada em atividade do vulcão Pacaya, incluindo um repórter de TV que cobria a erupção.

Outras 50 pessoas ficaram feridas desde a quinta-feira, quando o Pacaya começou a expelir lava, pedras e detritos. Três crianças estão desaparecidas.

No Equador, o vulcão Tungurahua forçou a evacuação de sete vilas próximas e fechou o aeroporto e as escolas de Guayaquil, a maior cidade do país.
Acredita-se que não há relação entre as duas erupções.

Estado de emergência

O presidente da Guatemala, Ávaro Colom, declarou estado de emergência na região de Escuintla, na Cidade da Guatemala e em outras áreas no entorno da capital.
Pelo menos 1.700 pessoas foram obrigadas a deixar suas casas por causa da erupção do vulcão, localizado a cerca de 30 quilômetros ao sul da capital.

A Cidade da Guatemala ficou coberta por cinzas - em algumas áreas, havia até sete centímetros de cinzas acumuladas - , obrigando o fechamento do principal aeroporto internacional do país.

Sismólogos advertiram para a possibilidade de novas erupções do Pacaya nos próximos dias.

No Equador, a erupção do Tungurahua expeliu nuvens de fumaça a até 10 mil metros de altura.

Fortes ventos levaram a fumaça para cima de Guayaquil e forçaram as autoridades de aviação a fechar o aeroporto da cidade, o mais movimentado do país.

Milhares de pessoas tiveram que deixar suas casas na região do vulcão, 150 quilômetros a sudeste da capital, Quito.

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

O LIVRE-ARBÍTRIO


Meus caros leitores.

Acabo de ler na Revista Planeta, de agosto de 2009:
“Nossas decisões realmente nos pertence? Nossa civilização, nossa moralidade e nossas leis são construídas a partir da idéia de livre-arbítrio, mas, segundo neurocientistas, abalizados – entre os quais – Steven Pinker – isso seria apenas uma ilusão, uma “construção fictícia”, pois nossa mente funcionaria como um órgão computacional.” Assim sendo, ninguém deveria ser considerado responsável pelas próprias ações?”


O livre-arbítrio é nada mais que uma tomada de decisão que depende única e exclusivamente da nossa vontade própria; porquanto, não caberia ser colocada abruptamente como uma simples ilusão ou coisa parecida. Não obstante ser ela um substantivo abstrato, as conseqüências que podem advir dela não o são.

Obviamente que a partir do momento em que agimos com a nossa vontade, poderemos enfrentar um futuro de momentos felizes ou infelizes. Isto vai depender de como foi usado esta nossa vontade, ou seja, com ou sem inteligência. Quer dizer, as coisas podem não acontecer conforme esperávamos, embora estivéssemos agido de acordo com ela. Isto significa que não usamos o nosso livre-arbítrio com a máxima inteligência, ou seja, sopesando os prós e contras em nossa vida, naquele momento.

O livre-arbítrio é algo que deve ser analisado, tanto de forma absoluta, quanto relativa. Absoluta, na medida em que temos sim, a convicção de o estarmos utilizando totalmente, na nossa concepção. Relativo, na medida em que percebemos que não sendo usado com inteligência, a Lei Universal de Causa e Efeito, nos mostrará como ele deve ser usado, para o nosso próprio bem.

Na maioria da vezes usamos o nosso livre-arbítrio com muita vaidade, deixando de lado outros fatores intrínsecos favoráveis em nossa vida futura.
Entendo, portanto, que o nosso livre-arbítrio é tão-somente uma sensação de liberdade, em razão de, se não fizermos a coisa corretamente, visando única e exclusivamente o bem comum e a nós próprios primeiramente, não estaremos nos conduzindo a um caminho mais condizente com a postura de pessoas civilizadas e que desejam promover somente o Bem, buscando com isso a tão sonhada Felicidade.

E felicidade para mim é sinônimo de: Uma melhor qualidade de vida, que implica uma melhor educação básica bem formada; que implica melhor saúde, tanto física, quanto mental; que implica estar em paz consigo mesmo; que implica um grande amor correspondido; que implica muita paz de consciência; que implica atitude de caridosidade e fraternidade e sobretudo, ter Deus na consciência e no coração.

O uso do “Livre-arbítrio” nos serve tão-somente pra isso.
A rigor, o resto, aí sim, meus caros amigos, concordo com o neurocientista, que diz que ele é pura ilusão.
Matéria enviada gentilmente pelo nosso amigo Bottary .

Bte, 06/05/2010


Vídeo - Livre arbítrio e condicionamento - Pe. Fábio de Melo

domingo, 23 de maio de 2010

A saga da busca por vida alienígena

Uma das imagens enviadas na nave Pioneer 10


WASHINGTON — Stephen Hawking diz que é muito arriscado tentar entrar em contato com vida alienígena.

Mas...é tarde demais.

A Agência Espacial Americana, que há dois anos transmitiu a música dos Beatles "Across the Universe" no cosmos, discutiu na quarta-feira sua mais recente estratégia de busca por vida fora da Terra.

“A busca pela vida é o ponto central dos nossos próximos passos na exploração do sistema solar”, disse o cientista planetário da Universidade Cornell Steve Squyres, membro de um grupo especial da National Academy of Sciences que aconselha a NASA em futuras missões.

O grupo está analisando 28 possibilidades de missão- de Marte às luas de Júpiter e Saturno. E a NASA tem foco principal em buscar formas simples de vida, como bactérias, em nosso sistema solar ao invés de supor sobre a possibilidade de alienígenas invadindo a Terra.


Há alguns dias, Hawking disse que em programa de TV que uma visita de extraterrestres à Terra seria como a chegada de Colombo à América “o que não terminou muito bem para os nativos americanos”.

O famoso físico britânico especulou que, enquanto a maior parte da vida extraterrestre seria similar a micróbios, formas de vida avançadas seriam provavelmente como “nômades, procurando conquistar e colonizar”.


Info Online

Quinta-feira, 29 de abril de 2010 - 14h50



Cientistas identificam as galáxias mais distantes da Terra

Conjunto já havia sido visto em 2006, mas os estudiosos não souberam dizer certamente
que se tratavam de galáxias


Galáxias se formaram há seis bilhões de anos e pesquisadores vão
estudar suas características para entender a formação do universo.
.Um aglomerado com galáxias de cerca de 10,2 bilhões de anos-luz (distância percorrida pela luz em um ano no vácuo), bateu um recorde e foi considerada por cientistas como as mais distantes da Terra já registradas.

A análise das galáxias foi feita com dados de telescópios óticos e infravermelhos e os especialistas, a partir desta descoberta, querem entender como o universo evoluiu, já que o conjunto se formou há seis bilhões de anos.

O aglomerado JKCS041 foi detectado pela primeira vez em 2006, mas os pesquisadores não tinham certeza de que realmente se tratava de um conjunto de galáxias e os aparelhos usados na análise não eram tão potentes.

Bem Maughan, da Universidade de Bristol, no Reino Unido, em entrevista ao Daily Mail, comparou o achado a uma descoberta importante do mundo animal.

Confira também
Comissão sugere que Nasa deixe de priorizar viagem à Lua

Novo foguete da Nasa para missões na Lua chega à plataforma de lançamento
..
- É animador porque é como se encontrássemos um fóssil de Tiranossauro Rex, que a espécie mais antiga já encontrada. Mas se você encontrar algum dinossauro mais antigo se começa a repensar a forma como esses bichos evoluíram. O mesmo vale a partir de agora para a cosmologia.

Outras pesquisas estão em andamento para buscar por novos conglomerados de galáxias.

Foto mostra choque de sonda da Nasa com a Lua



...Foto mostra choque de sonda da Nasa com a Lua
Pesquisadores da agência analisam se cratera tem sinais de água com gelo

Imagem mostra local de choque da sonda com a Lua
e a nuvem de poeira que se formou após a colisão.
.
A Nasa (agência espacial dos EUA) revelou a primeira imagem dos destroços causados pelo choque de um foguete com uma cratera do Polo Sul da Lua, no último dia 9, em missão para investigar a presença de água no local.

As imagens mostram fragmentos de uma espécie de poeira que subiu logo depois do impacto. Os pesquisadores ainda vão estudar as prováveis substâncias que fazem parte do material e continuar a busca por sinais de água na região.

A foto de má qualidade, revelada neste final de semana, foi capturada pelas câmeras da sonda LCROSS, que acompanhava o aparelho e também despencou sobre a cratera.

A imagem, registrada 15 segundos após o impacto, mostra uma faixa com muito brilho e de cerca de 6 km a 8 km. Anthony Colaprete, o diretor científico do projeto LCROSS, diz que “há indicações nítidas de uma ejeção de vapor e de finos fragmentos”.

Eles esperavam que a nuvem que subiu com a chegada da sonda atingisse uma altura de 10 km, mas foram registradas alturas bem menores.

Colaprete disse à revista New Scientist que foi identificado hidrogênio um pouco acima da superfície lunar.

- Foi registrada a presença de hidrogênio a 70 cm do solo, próximo dos pólos lunares. Portanto, há chances de ter água.

Outras imagens transmitidas pela LCROSS indicam que a cratera, que resultou do choque do projétil de 2,3 toneladas, é de cerca de 28 metros de comprimento.

Uma análise final dos dados conseguidos pelo impacto da sonda LCROSS ficará pronta em novembro.

Novo foguete da Nasa para missões na Lua chega à plataforma de lançamento

Ares I chegou à plataforma de lançamento após percorrer 6,7 km;
será testado na semana que vem.
.
O foguete Ares I-X, da Nasa (agência espacial norte-americana) chegou nesta terça-feira (20) à plataforma de lançamento no Centro Espacial Kennedy, na Flórida (EUA). O equipamento faz parte da nova frota de veículos espaciais que os Estados Unidos estão desenvolvendo com o objetivo de enviar astronautas para missões na Lua até 2020.

O Ares I passou toda a noite viajando do hangar em que foi montado até a plataforma – a distância de 6,7 km levou cerca de seis horas para ser concluída. É a primeira vez em 34 anos que um veículo que não os ônibus espaciais, como Atlantis e Discovery, é colocado na plataforma de lançamento 39-B.

O equipamento faz parte do programa Constellation, que tem o objetivo de substituir os atuais ônibus espaciais da Nasa que serão aposentados no ano que vem, depois de quase 30 anos de operação e dois graves acidentes que mataram 14 pessoas.

O foguete, que tem custo de US$ 445 milhões (R$ 776,5 milhões) será o encarregado de carregar as novas cápsulas Orion, em que os astronautas vão viajar — essas naves são uma versão mais moderna dos veículos espaciais Apollo, que levaram o homem à Lua entre 1969 e 1972.

Mas pode haver mudanças nesses planos. Um grupo de especialistas deve apresentar ainda nesta semana ao presidente do país, Barack Obama, uma lista com opções possíveis ao programa.

Na próxima terça-feira (27), será realizado o primeiro teste com o foguete. Ele será lançado e vai fazer um voo de dois minutes e meio para verificar como uma parte do primeiro estágio do veículo se comporta.

Do R7, com agências internacionais

Telescópio infravermelho europeu encontra buraco no espaço

Descoberta pode revelar pistas das etapas finais de formação de estrelas


Crédito: ESA/NASA/JPL-Caltech/STScI/Univ. de Toledo


..O telescópio infravermelho espacial Herschel, da Agência Espacial Europeia, descobriu um buraco que pode dar pistas sobre as etapas finais do processo de formação das estrelas, que nascem escondidas em nuvens densas de gás e poeira.

Depois de um certo tempo, elas começam a lançar para fora o material que as originou até afastarem completamente o que existir em volta delas.

Apesar de já terem notado jatos de estrelas empurrando material pelo espaço, os astrônomos nunca entenderam direito o que ocorria em um berçário de estrelas para que ele sumisse totalmente, muito menos como isso acontecia.

O buraco descoberto pelos cientistas não é um buraco negro e fica no meio de uma espécie de nuvem-berçário, que não passa de um acúmulo de um gás brilhante chamado NGC 1999.

Segundo os pesquisadores, o gás fica na constelação de Órion, a mais ou menos 1.250 anos-luz da Terra, e já foi fotografada pelo telescópio Hubble há alguns anos.

Durante muitos anos, mesmo com a ajuda do telescópio da Nasa, os astrônomos pensavam que essa mancha escura fosse apenas outra nuvem, tão densa que impedia a passagem de luz
.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Cavalo Encilhado não Passa Duas Vezes



Da FLB - Fundação Luso-Brasileira, recebi o e-mail que abaixo se transcreve.

Tenho pena que por motivos profissionais não possa estar presente em tão importante evento. Fica, no entanto, o meu agradecimento pelo convite.


A Fundação Luso-Brasileira apoia o lançamento do livro "Cavalo Encilhado não Passa Duas Vezes" de autoria de António Bacelar Carrelhas.

Este livro reflecte as memórias de viagens dos últimos quarenta anos, que revela, um mundo em transformação.

A Fundação Luso-Brasileira tem o prazer de convidar V.Exa. para o lançamento, no próximo dia 25, pelas 18h30 na Sociedade de Geografia de Lisboa.

Segue abaixo convite


--------------------------------

Sobre o Dr. António Bacelar Carrelhas:

Mundo Português

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Brasil é independente diante de 'arrogância' dos EUA, diz aiatolá


Líder supremo do Irã encontrou-se com Lula em Teerã.



imprimir O líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, disse neste domingo, após um encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Teerã, que o Brasil adotou posições independentes contra as "políticas arrogantes" dos Estados Unidos.

Segundo a agência de notícias oficial iraniana IRNA, o aiatolá disse que o Irã "acolhe" a ampliação da cooperação mútua com o Brasil no nível internacional.

Lula e Khamenei encontraram-se neste domingo. A reunião também teve participação do presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad. Na nota divulgada pela agência oficial iraniana, Khamenei agradece a presença do presidente Lula, mas não faz nenhum comentário sobre as negociações em relação ao programa nuclear iraniano.

Lula foi à Teerã apresentar uma proposta do Brasil e da Turquia para evitar que o Irã receba sanções do Conselho de Segurança da ONU, no impasse gerado pelo seu programa nuclear.

Independência

"O Brasil adotou posturas independentes ao negociar com as políticas arrogantes dos Estados Unidos nos últimos anos", disse Khamenei após o encontro com Lula, segundo a agência de notícias IRNA.

"A República Islâmica do Irã acolhe completamente a ampliação da cooperação mútua com o Brasil em níveis mutuais e internacionais."

Khamenei disse que Estados independentes devem cooperar entre si para mudar as "injustas equações" globais.

"Nós acreditamos que os países que foram marginalizados ao longo dos últimos 200 anos devido às políticas ilógicas de potências agressivas podem ter um papel fundamental no desenvolvimento global."

Segundo a IRNA, o aiatolá destacou que o Brasil fez "grande progresso" nos últimos anos e que o país é o "maior e mais influente" da América Latina. O aiatolá pediu a expansão das relações entre Brasil e Irã e uma reforma da ONU.

A agência afirma que, ao comentar a "postura do Irã diante dos assuntos internacionais", Khamenei disse que "o Brasil acredita que é direito legítimo da nação iraniana e do seu governo de defender sua independência e desenvolvimento pleno".

Após o encontro com Khamenei e Ahmadinejad, Lula seguiu para seus outros compromissos no domingo, que incluem uma reunião com o presidente da Assembleia Consultiva Islâmica, Ali Larijani, e um encontro com empresários iranianos e brasileiros. À noite ele participa de um jantar oferecido por Ahmadinejad.

O ministério das Relações Exteriores disse à BBC Brasil que a coletiva de imprensa que estava programada para acontecer após o encontro com Ahmadinejad não foi realizada, e que não há previsão se Lula e Ahmadinejad falarão à imprensa neste domingo.

Impasse nuclear

Lula foi ao Irã para apresentar uma proposta do Brasil e da Turquia para evitar que o Irã seja alvo de sanções internacionais.

O Conselho de Segurança da ONU pretende adotar novas sanções contra o Irã, já que alguns integrantes do Conselho - como os Estados Unidos - desconfiam das intenções do governo de Teerã quanto ao seu programa nuclear.

O governo iraniano sustenta que seu programa nuclear tem fins pacíficos, e que o país não pretende desenvolver armas nucleares. O Brasil e a Turquia elaboraram um plano que foi levado por Lula a Ahmadinejad. Na sexta-feira, em encontro com Lula em Moscou, o presidente russo, Dmitri Medvedev, disse que a proposta do Brasil e da Turquia seria a última chance do Irã de evitar as sanções da ONU.

A base da proposta turca e brasileira continuaria sendo o plano da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA, um órgão da ONU), do final do ano passado, que prevê o enriquecimento do urânio iraniano em outro país em níveis que possibilitariam sua utilização para uso civil, não militar.

Na segunda-feira, o presidente participa de uma reunião do G15, um grupo de cooperação entre países em desenvolvimento não-alinhados. Além de Brasil e Irã, participam do G15 Argélia, Argentina, Chile, Egito, Índia, Indonésia, Jamaica, Malásia, México, Nigéria, Quênia, Senegal, Sri Lanka, Venezuela e Zimbábue.

Antes de embarcar para o Irã, em Doha, no Catar, Lula disse não entender o ceticismo da secretária de Estado americana, Hillary Clinton, sobre a possibilidade de o Irã mudar sua postura sobre o seu programa nuclear através do diálogo.







Matéria enviada pelo Bottary, amigo nosso e do Elo Geográfico.

Imagens inéditas do sol capturadas pela NASA

Imagem colorida artificalmente mostra diferentes comprimentos de onda infravermelha, indicando temperaturas distintas nos gases. Vermelhos são relativamente frios, e verdes e azuis são mais quentes.


SÃO PAULO – Em 11 de fevereiro, a NASA lançou ao espaço o Solar Dynamics Observatory (SDO), equipamento que estudará o Sol durante cinco anos.

Agora, o aparelho começa a enviar imagens que permitem compreender melhor a dinâmica da nossa estrela mais próxima – o que pode ajudar a evitar sérios problemas aqui na Terra.

Seus dados ajudarão a entender o papel que o Sol exerce na química da atmosfera e no clima terrestre. Algumas das imagens já mostram detalhes inéditos de materiais sendo ejetado de manchas solares e closes da superfície da estrela.

O complexo campo magnético é convertido nas violentas tempestades, gerando nuvens enormes de material que vem em direção à Terra e causam tempestades magnéticas.

Essas atividades solares afetam tudo o que existe no planeta – das criaturas vivas às formas inanimadas. Desde o século 19, por exemplo, cientistas sabem que as turbulências nos campos eletromagnéticos do planeta causadas pelo Sol podem induzir correntes extremas em fios, cortar linhas de transmissão e causar blecautes em massa.

Enviando diariamente impressionantes 1.5 terabytes de dados à Terra (o equivalente a um download de meio milhão de músicas em um MP3 player por dia), o SDO é considerado um dos projetos mais importantes da NASA nos últimos tempo. Os pesquisadores acreditam que ele terá tamanho impacto na ciência como teve o Hubble na astrofísica moderna.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Lagartos da Martinica «fogem» a Darwin

Réptil da ilha Martinica é a excepção da "Origem das Espécies" de Charles Darwin


Cientistas descobrem que espécie da Martinica evoluiu separadamente e voltou a cruzar-se

Os lagartos da ilha Martinica, no mar do Caribe, são uma excepção na lei de Darwin.

Apesar de os seus ancestrais terem vivido separados durante milhões de anos, este animais continuam a ser geneticamente compatíveis, ou seja, são considerados apenas uma espécie de acordo com o conceito clássico.

A descoberta, publicada na PLoS Genetics, apresenta a excepção à regra que Darwin formulou na sua mítica visita às ilhas Galápagos.

Durante a viagem a bordo do Beagle, Charles Darwin usou como exemplo o tentilhão (um pássaro de pequeno porte) para abordar a teoria de como surgem as espécies.

As diferentes linhagens que viviam em ilhas separadas iam acumulando diferenças durante muitas gerações ate um ponto sem retorno. Se esses pássaros tinham evoluído separadamente durante milhares de anos se voltassem a encontrar-se, não poderiam ter descendência porque já não seriam a mesma espécie.

Esta especificação por isolamento geográfico continua a ser uma forte corrente na biologia e genética no mundo. Contudo, como em qualquer outra teoria, há excepções.

Ilha laboratório

A Martinica é um laboratório perfeito para poder provar-se esta teoria. Há oito milhões de anos a ilha francesa estava separada em quadro troços de terra, quando chegaram os actuais ancestrais do Anolis roquet.


Roger Thorpe, líder do estudo



A equipa de Roger Thorpe, da Universidade de Bangor, no Reino Unido, analisou amostras de tecido recolhidas da cauda de centenas de lagartos de toda a ilha, desde os que vivem nas praias paradisíacas aos que habitam nas zonas mais rochosas e áridas.

As análises ao DNA dos tecidos comprovaram que todos os lagartos descendem de quatro linhagens que habitam cada um dos fragmentos em que estava dividida a ilha.

Quando analisaram o número de alterações genéticas no genoma dos animais, os cientistas descobriram que não havia diferenças suficientes para serem considerados espécies diferentes, já que, ao longo da história e após as erupções vulcânicas que juntaram os troços da Martinica, as populações cruzaram-se.

Assim, as diferentes populações que hoje habitam a ilha são mais diferentes entre si do que as populações originárias que viviam separadas.

Ciência Hoje
14-05-2010

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Último dia de inscrição para Unilab e UFC

Os dois concursos tem inscrevem até hoje candidatos para vagas de níveis médio e superior. As provas escritas estão previstas para 30 de maio


Encerram-se hoje, dia 9, as inscrições para a seleção de profissionais para a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), no município de Redenção, e na Universidade Federal do Ceará (UFC). As inscrições devem ser feitas no site www.ccv.ufc.br.

Para Unilab são oferecidas duas vagas para arquiteto e urbanista, uma para engenheiro civil, e uma para engenheiro eletricista. A taxa de inscrição é no valor de R$ 80. O salário oferecido é no valor de R$ 2.611,85, já acrescidos os R$ 304 de auxílio alimentação. A prova escrita deve acontecer dia 30 de maio e a divulgação do resultado final no dia 16 de junho.

Já para o Campus da UFC em Fortaleza são ofertadas vagas para técnicos de laboratório: uma vaga para a área de Oceanografia, uma para a área de teleinformática, uma para a área de controle de qualidade microbiológica de medicamentos e cosméticos, uma para a área de programação, duas para a área de administração de rede e quatro para a área de design para web. Essas vagas são para candidatos de nível médio de escolaridade, com experiência mínima de seis meses em instituição pública ou registro na carteira de trabalho.A taxa de inscrição é no valor de R$ 50. A remuneração é no valor de R$ 1.813,69, também já incluso o auxílio alimentação.

A prova escrita também deve acontecer dia 30 de maio, sendo que a segunda etapa do concurso, que será uma prova prático-oral, acontece dia 20 de junho. O resultado final do concurso será divulgado dia 30 de junho.


SERVIÇO

Concurso Unilab
Vagas: 4 para vários cargos Salário: até R$ 2.611,85
Requisito: nível superior
Taxa de Inscrição: R$ 80
Edital: www.cev.urca.br

Concurso UFC - Campus Fortaleza
Vagas: 10 para técnicos de laboratório
Salário: até R$1.813,69
Requisito: nível médio
Taxa de Inscrição: R$ 50
Edital: www.cev.urca.br


NORDESTE

IFCE - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (CE)
Vagas: 7 para técnico administrativo
Remuneração: até R$ 2.307,85
Inscrições: até 14 de maio
Taxa: até R$ 50
Requisito: nível técnico e superior
Edital e inscrições: www.ifce.edu.br

Prefeitura de Mauriti (CE)
Vagas: 219 para vários cargos
Remuneração: R$ até 5.859
Inscrições: até 11 de junho
Taxa: até R$ 100
Requisito: nível fundamental,
médio e superior
Edital e inscrições: www.consulpam.com.br

Prefeitura de Milagres (CE)
Vagas: 212 para vários cargos
Remuneração: até R$ 3.500
Inscrições: até 14 de maio
Taxa: até R$ 80
Requisito: nível fundamental, médio e superior
Edital e inscrições: www.cev.urca.br

Prefeitura de Parambu (CE)
Vagas: 440 para vários cargos
Remuneração: até R$ 10.000
Inscrições: até 14 de maio
Taxa: até R$ 100
Requisito: nível superior e magistério
Edital e inscrições: www.consulpam.com.br

Prefeitura de Estreito (MA)
Vagas: 105 para vários cargos
Remuneração: até R$ 3.611
Inscrições: até 18 de maio
Taxa: até R$ 55
Requisito: nível fundamental,
médio e superior
Edital e inscrições: www.fsadu.org.br ou www.sousandrade.org.br

Prefeitura de Pastos Bons (MA)
Vagas: 77 para vários cargos
Remuneração: até R$ 3.611
Inscrições: até 18 de maio
Taxa: até R$ 180
Requisito: nível fundamental, médio e superior
Edital e inscrições: www.institutoludus.com.br

Prefeitura de Riachão (MA)
Vagas: 105 para vários cargos
Remuneração: até R$ 3.000
Inscrições: até 18 de maio
Taxa: até R$ 55
Requisito: nível médio e superior
Edital e inscrições: www.fsadu.org.br ou www.sousandrade.org.br

Câmara de Manari (PE)
Vagas: 9 paravários cargos
Remuneração: até R$ 1.800
Inscrições: até 27 de maio
Taxa: até R$ 60
Requisito: nível fundamental e médio
Edital e inscrições: www.selectconcurso.com.br

IASC - Instituto de Assistência Social e Cidadania (PE)
Vagas: 220 para educador social
Remuneração: até R$ 685
Inscrições: até 14 de maio
Taxa: R$ 35
Requisito: nível médio
Edital e inscrições: www.covest.com.br

Prefeitura de Ferreiros (PE)
Vagas: 259 para vários cargos
Remuneração: até R$ 1.000
Inscrições: até 14 de maio
Taxa: até R$ 70
Requisito: nível fundamental, médio e superior
Edital e inscrições: www.acaplam.com.br

Prefeitura de Goiana (PE)
Vagas: 287 para vários cargos
Remuneração: até R$ 1.500
Inscrições: até 16 de maio
Taxa: até R$ 55
Requisito: nível fundamental,
médio e superior
Edital e inscrições: www.ipad.com.br

Prefeitura de Serra Talhada (PE)
Vagas: 363 para vários cargos
Remuneração: até R$ 2.800
Inscrições: até 4 de junho
Taxa: até R$ 65
Requisito: nível fundamental, médio e superior
Edital e inscrições: www.asperhs.com.br

Povo Online

08 Mai 2010 - 16h11min


Conheça a nova tendência do mercado: os empregos verdes


Trabalhar contribuindo com o meio ambiente é uma das tendências do mercado de hoje, com geração de empregos nos mais diversos setores e promessa de aumento da demanda nos próximos anos

Atuar na produção de energias renováveis, agricultura orgânica, em atividades que contribuem na diminuição da emissão de gás carbônico e em educação são algumas das ocupações definidas como empregos verdes, que já totalizam em mais dois milhões no Brasil, segundo dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

No estudo Empregos Verdes: Rumo ao Trabalho Decente em um Mundo Sustentável, com Baixas Emissões de Carbono, define empregos verdes como "postos de trabalho nos setores da agricultura, indústria, construção civil, instalação e manutenção, bem como em atividades científicas, técnicas, administrativas e de serviços que contribuem substancialmente para a preservação ou restauração da qualidade ambiental".

Segundo Paulo Sergio Muçouçah, autor do estudo Empregos Verdes no Brasil: quantos São, onde Estão e como Evoluirão nos Próximos anos, o Nordeste tem grande mercado para esses profissionais, como na produção de energia renovável, como o biocombustível, em usinas de cana de açúcar, e nos polos de energia eólica, como os que existem no Ceará. ``Especificamente relacionadas ao combate à seca, temos trabalho de construção de cisternas, construção de açudes, e o próprio projeto de transposição das águas do rio São Francisco``, detalha.

Para ele, os empregos verdes ``ajudam a proteger e restaurar ecossistemas e a biodiversidade; reduzem o consumo de energia, materiais e água por meio de estratégias de prevenção altamente eficazes; descarbonizam a economia; e minimizam ou evitam a geração de todas as formas de resíduos e poluição``.

Entre as diversas áreas em que se pode atuar neste ramo, Paulo cita também trabalho com manejo florestal, saneamento em geral, reciclagem de resíduos em geral, construção civil, arquitetura e destaca a área de telecomunicações. ``Apesar de ser uma profissão relativamente nova, telecomunicações geram um impacto muito forte, com o tele-atendimento, que evita o deslocamento das pessoas``.

Ele afirma que a tendência é que a cada ano o número de empregos aumente, e destaca a atividade de agricultura orgânica, que cresce 30% ao ano. Mas além de todas as contribuições para o meio ambiente, o emprego verde tem que ter a característica de emprego decente, ou seja, ter salários adequados, condições seguras de trabalho e direitos trabalhistas, inclusive o direito de se organizar em sindicatos.

E-MAIS

De acordo com Pedro Perrelli, diretor executivo da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), no Ceará existem 1.000 profissionais envolvidos nos parques eólicos, desde as fases iniciais de instalação até as fases dos parques
em operação.

As atividades que mais demandam profissionais são nas áreas da construção civil, montagens mecânicas, montagem elétrica, além da mão de obra especializada (montadores, soldadores, eletricistas) e técnica de grau médio.

NÚMEROS

2 milhões
É O NÚMERO DE EMPREGOS VERDES JÁ EXISTENTES NO PAÍS, SEGUNDO A OIT

Daiana Godoy

08 Mai 2010 - 16h11min

Um 13 de Maio especial: o dia em que Fátima aclamou um novo Papa


O dia 13 de Maio de 2010 irá ficar na memória de muitos peregrinos como o dia em que Fátima passou a ter mais um Papa. Um dia antes de Bento XVI ter chegado a Portugal, o tvi24.pt esteve nos caminhos que levam ao Santuário. Para muitos dos caminhantes, o actual bispo de Roma era visto como alguém distante, pouco simpático e até susceptível de alguma desconfiança. Na Cova de Iria, para muitos, ainda era João Paulo II que estava sentado na cadeira de S. Pedro. Tudo isso mudou esta quinta-feira.

Se a vinda do Papa a Portugal tinha o objectivo de torná-lo mais próximo de um povo que aprecia a intimidade, conseguiu-o. Já em Lisboa, Bento XVI criara um certo elã em torno a esta visita. Não era associado à juventude e os jovens aparecerem. Não era conhecido pelo seu humor e arriscou uma piada antes de se ir deitar. Não lhe correu mal.

Esta tarde, o porta-voz da Santa Sé disse em conferência de imprensa que o papa acordou bem disposto, em Fátima. Tinha 500 mil razões para isso. Todas à espera na praça do santuário e arredores. Pelo menos foi esse o número de peregrinos que estaria na eucaristia de hoje, segundo o Vaticano.

Numa visita que começou ainda dentro do avião, com declarações sobre o terceiro segredo de Fátima e o escândalo de pedofilia, o Papa conseguiu, pelo menos com este último tema, mudar a percepção junto da imprensa de que a Igreja via a revelação dos casos como um ataque concertado pelos media. Antes de uma mediática visita, o Papa deixou claro que o «inimigo» não está fora da Igreja, mas dentro. E trata-se de quem cometeu abusos, para quem não basta o perdão. É necessário também justiça.

Numa altura conturbada para a Igreja, a visita a Portugal - um dos países mais católicos da Europa e, pelo menos até agora, sem os escândalos que abalaram igrejas nacionais, como a irlandesa -, servirá não apenas para o Papa animar os fiéis portugueses, mas para os fiéis portugueses animarem o Papa. E projectar essa imagem para o resto da Igreja. Televisões, rádios e jornais não têm faltado para isso.

«Uma grande vitória»

Esta tarde, já com a praça a esvaziar-se, muitos peregrinos confessavam sair do local cheios de espírito renovado e com uma refrescada visão do Papa. Maria de Lurdes, uma católica de 58 anos, de Carcavelos, disse ao tvi24.pt isto mesmo. «Achei-o mais simpático do que estava à espera. Na televisão parece assim um bocadinho mais sisudo. Menos dado às pessoas e à convivência, mas aqui mostrou-se bem diferente».

Não gostou apenas do que viu. Gostou também do que ouviu. «Acho que a mensagem dele é mais do que actual. Destaco à chamada de atenção às pessoas para se unirem na fé, para a revigorarem, que anda um bocadinho mórbida».

Albino Vilanova, de 55 anos, e também de Carcavelos, confessou que, por vezes, quando pensa no Papa, a boca ainda lhe foge para o «nome do outro». Disse que admirava o sorriso do outro Papa. A este, chamou-o «o Papa do sorriso». «Tinha a ideia que o outro era mais popular, conseguia congregar mais os jovens. Este tinha a ideia de ser mais imperialista, sendo alemão, frio, mas não. Tenho uma imagem totalmente diferente».

Três espanholas sexagenárias de Cáceres, Remédios Paulina e Francisca, também sentiram o mesmo, desculpando qualquer percepção menos simpática com a idade. «É já um idosos», disseram.

Maria Marques, uma brasileira de 56 anos que vive em Santa Iria da Azóia, viu por outro lado a marca da juventude em Bento XVI e a empatia que criou com eles. «Fiquei hoje em pé sete horas para o ver». Ao seu lado, José Santos, quase vinte anos mais velho, e com um chapéu à cowboy a protegê-lo do sol, também dizia que «toda a juventude foi óptima para presença do Papa», rematando: «Foi uma grande vitória para o Santo Padre vir aqui».


13-05-2010






quarta-feira, 12 de maio de 2010

Antropólogo americano defende que futuro do Homem passa por colonizar outros planetas

Jonathan Marks


A espécie humana está a ficar cada vez mais homogénea e só surgirão variações quando colonizar outros planetas, defende o antropólogo norte-americano Jonathan Marks, que sugere que as diferenças biológicas entre seres humanos são "imaginárias".

O professor da universidade da Carolina do Norte, afirmou à Lusa que "os próximos passos na evolução biológica terão a ver com a saída do planeta Terra", pois "no presente, estamos a ficar cada vez mais parecidos uns com os outros, biológica e culturalmente".

Jonathan Marks, que veio a Portugal para participar no ciclo de conferências "Biodiversidade e Sociedade", na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, justifica esta homogeneidade com o aumento de comunicação, “seja por trocas comerciais ou migração".

Na sua opinião, a inversão desta tendência acontecerá só quando os humanos colonizarem outros planetas, pois voltará a haver "populações pequenas, isoladas, que irão em direcções genéticas aleatórias e se adaptarão, através da selecção natural, a ambientes que neste momento nem conseguimos imaginar".

Este antropólogo acredita que pensar a espécie em termos de divisões raciais é uma ideia enganadora e que essas são "diferenças biológicas imaginárias". A título de exemplo, afirma que "a biologia dos portugueses é uma questão artificial" visto que a composição da população resulta de "fronteiras e migrações construídas ao longo da História".

Quanto aos conflitos nas sociedades humanas, Jonathan Marks diz que têm a ver com "limites e disputas culturais, não com questões biológicas", indicando que nos Estados Unidos, a história de problemas raciais relaciona-se com "a negação de igualdade e paridade económica, de direitos políticos, a pessoas de ascendência africana".

Ciência Hoje
11-05-2010

Praga de rãs causa pânico na China por medo de terramoto


Segunda invasão de rãs em menos de uma semana assusta chineses


Investigadores ingleses publicam estudo onde garantem que os sapos podem prever sismos

Por Bárbara Gouveia

Duas invasões de rãs em menos de uma semana foram suficientes para causar o pânico na China. Segundo um jornal de Pequim, os chineses acreditam que as migrações destes anfíbios precedem um movimento de terras.

A última praga aconteceu perto de um lago no distrito de Jiangnin, na cidade de Nankín, quando cem mil rãs de menos de dois centímetros de comprimento invadiram as ruas, dirigindo-se em grupo na mesma direcção.

No passado 5 de Maio, outra invasão: dez mil rãs na província de Sichuan, onde se registou o sismo de 2008, provocaram um alarme idêntico na população.

Antes do tremor de terra de há dois anos, que causou 87 mil mortos e desaparecidos, houve uma migração de anfíbios muito semelhante a esta.

Os especialistas e sismólogos já negaram esta relação e estão a acalmar a população. Yang Jianjun, responsável pela administração local de sismologia, explica que é verdade que antes de um terramoto certos animais podem mostrar um comportamento estranho, mas que esses comportamentos nem sempre precedem um terramoto.

As rotas das rãs

Outro especialista, Gao Guofu, da Academia de Ciências Biológicas de Nankín, acrescenta que se trata apenas de um fenómeno natural: “Há dois dias que chove, o ar está fresco e solarengo, é uma boa altura para as rãs que necessitem de migrar saiam”. Guofu acrescenta ainda que as rãs necessitam de migrar, quando terminam a fase de girinos, para procurar um novo habitat com alimentos.



José Teixeira, investigador CIBIO


José Teixeira, investigador do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos (CIBIO), explica que “por norma as rãs e os sapos migram no inicio da reprodução para os ambientes aquáticos e são animais com grande fidelidade ao local onde nascem”, ou seja, no fim da época de reprodução fazem o percurso inverso.

Questionado pelo Ciência Hoje acerca dos comportamentos estranhos que as rãs podem adoptar como consequência ou coincidência da precedência de um terramoto, o cientista do CIBIO explica que “as migrações não costumam são massivas. As rãs só saem no fim da reprodução e desfasadas”.

Sapos desaparecem em L'Aquila

No entanto, existem precedentes de um comportamento estranho dos anfíbios antes de um terramoto. Segundo investigadores ingleses, os sapos comuns (Bufo bufo) abandonaram a zona do lago de San Ruffino, próximo de L’Aquila, em Itália, dias antes do terramoto de 6 de Abril do ano passado, de 5.8 graus na escala de Richter, em que se registaram 294 mortos e 1500 feridos.



Rachel Grant, da Open University


Rachel Grant, da Open University e Tim Halliday de Oxford garantem que “os sapos comuns são capazes de pressentir eventos sísmicos importantes e de adaptar o seu comportamento”.

Cinco dias antes do tremor, o número de sapos machos presentes no local de reprodução brutalmente reduziu-se em 96 por cento, um comportamento "altamente incomum" para esses anfíbios, segundo o estudo publicado no "Journal of Zoology".

Facto ou coincidência

José Teixeira admite que “é possível haver coincidências” mas realça, tendo em conta que já se registaram fenómenos semelhantes em diferentes sítios, que “há fortes indícios de mais um grupo que pode prever sismos”.

O investigador do CIBIO recorda que há vários animais conhecidos por possuírem esta capacidade − as toupeiras, as cobras, os ratos ou os cães podem ficar mais agitados ao sentirem as primeiras ondas sísmicas que precedem um terramoto.

Ciência Hoje
11-05-2010

terça-feira, 11 de maio de 2010

Eco Veículo: Melhor prestação portuguesa na Shell Eco-marathon 2010

Equipa do Eco Veículo


Automóvel da FCTUC percorreu 2204,4 quilómetros com um litro de gasolina

Ao percorrer 2204,4 quilómetros com apenas um litro de gasolina sem chumbo 95, a uma velocidade média de 30 quilómetros, o Eco Veículo, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), conquistou o segundo lugar na categoria (Protótipos) e o oitavo na classificação geral da Shell Eco-marathon Europe, revelando-se a melhor equipa portuguesa no Circuito de Lausitz, na Alemanha.

Considerada a mais prestigiada prova internacional de eficiência energética, a Eco-marathon Europe 2010 reuniu, no último fim-de-semana, mais de três milhares de estudantes de universidades europeias e escolas secundárias.

O Eco Veículo, que ao longo dos seus dez anos de vida já percorreu mais de 28 mil quilómetros, com apenas 18 litros de gasolina, é um projecto desenvolvido por uma equipa constituída por professores e alunos do Departamento de Engenharia Mecânica, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, em parceria com várias instituições.

Ciência Hoje
10-05-2010

Seres humanos carregam herança genética de Neandertais

Svante Paavo, do Instituto Max Plank, liderou o estudo


Cientistas do Instituto Max Plank sequenciaram genoma do Neandertal e compararam-no com humanos modernos

O Homo sapiens sapiens actual, da Europa e da Ásia, tem entre um e quatro por cento de DNA Neandertal, o hominídeo que desapareceu há 30 mil anos. Esta é a conclusão de um estudo realizado por investigadores do Instituto Max Plank, na Alemanha, publicado sexta-feira na revista «Science».

Durante quatro anos, os investigadores estudaram e sequenciaram o genoma do Neandertal. Analisaram diversos fragmentos extraídos de ossos desta espécie extinta, que tinham sido encontrados na Croácia, Rússia, Alemanha e Espanha. Depois, compararam os dados com humanos actuais da Europa, da Ásia e de África.

O director do Departamento de Genética Evolutiva do Instituto Max Plank, que liderou a investigação, Svante Päabo, destaca esta descoberta como fundamental para o conhecimento da evolução humana.

Muitos investigadores tinham sérias dúvidas sobre o possível cruzamento entre os primeiros sapiens e os Neandertais, apesar de terem já aparecido vários esqueletos que indicavam existir hibridação. Contudo, apenas agora foi possível provar com dados genéticos essa teoria.

O homem de Neandertal apareceu no Próximo Oriente e na Europa há 400 mil anos, 200 mil anos antes do sapies sapiens existir e se ter começado a espalhar pelo mundo a partir de África. Os primeiros cruzamentos terão acontecido no Médio Oriente, entre 80 mil e 50 mil anos atrás.

O genoma neandertal foi comparado com o de cinco humanos actuais da África Meridional e Ocidental, de França, da China e da Papua Nova Guiné. O estudo revelou que o Neandertal partilha 99,7 por cento dos genes do sapiens sapiens.

No entanto, apenas dos seres humanos que habitam fora de África têm a herança genética dos Neandertais, o que reforça a ideia de que o cruzamento terá mesmo acontecido.

Artigos:
A Draft Sequence of the Neandertal Genome
Targeted Investigation of the Neandertal Genome by Array-Based Sequence Capture

Ciência Hoje
11-05-2010

O Geógrafo


Geógrafo não vê, mapeia;


Geógrafo não come, ingere alimentos de origem vegetal ou animal;

Geógrafo não respira, troca O² e CO² com a troposfera;

Geógrafo não resume, analisa a totalidade de maneira interdisciplinar;

Geógrafo não ensina, forma cidadãos críticos;

Geógrafo não exclui, distingue diferentes elementos da paisagem;

Geógrafo não elogia, descreve fenômenos positivos;

Geógrafo não trabalha em outra cidade, desloca-se pendularmente;

Geógrafo não casa, faz simbiose múltipla;

Geógrafo não faz turismo, faz viagem de campo;

Geógrafo não pensa, analisa as dinâmicas sócio espaciais;

Geógrafo não admite algo sem resposta, analisa as vertentes;

Geógrafo não toma chuva, molha-se com precipitações atmosféricas;

Geógrafo não cultiva plantas, pratica agricultura extensiva;

Geógrafo não vai a praia, visita plataforma continental que dá acesso a talude;

Geógrafo não sente calor, transfere energias térmicas;

Geógrafo não é pobre, tem carência de recursos econômicos...



É isso mesmo galera...por essas e por outras...ser GEÓGRAFO É TUDO DE BOM,.,,,,

Matéria enviada por Lilian Rocha, geógrafa, nossa amiga e do Elo Geográfico!

Foto: Imagens - Google.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Primeiro endereço de website totalmente em árabe já está disponível

Wbsite do Ministério das TIC do Egipto é o primeiro a disponilizar o seu endereço em árabe

O organismo responsável pela gestão da Internet - “Internet Corporation for Assigned Names and Numbers” (ICANN) - anunciou que está em funcionamento, desde ontem, o primeiro website cujo endereço é totalmente composto por caracteres de alfabetos não latinos.

Trata-se da página do Ministério das Tecnologias de Informação e Comunicação do Egipto que, poucos meses após a aprovação dos primeiros domínios em caracteres não latinos, torna-se pioneira a disponibilizar o seu endereço em árabe, inclusivamente escrito da direita para a esquerda.

Egipto, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos foram os primeiros países autorizados a registar domínios de topo nos seus caracteres nativos. Esta mudança técnica implementada pela ICANN também permitirá o uso de caracteres tailandeses ou chineses, sendo que mais de 20 países já requisitaram aprovação de domínios nacionais.

Embora tenha sido anunciado que os domínios estariam disponíveis para uso imediato, a ICANN admite que pode demorar algum tempo até que todos os alfabetos funcionem correctamente. Além disso, alertou para o facto de nem todos os softwares estarem adaptados a esta nova realidade, pois ainda que possam direccionar o utilizador para o site correcto, na barra de endereços não surgirão os caracteres originais.



Alguns softwares não assumem os caracteres árabes no endereço


Rod Beckstrom, presidente da ICANN, classificou esta mudança como “histórica”, na medida em que este organismo trabalha há vários anos para implementá-la. Até agora, os endereços de websites podiam utilizar alguns caracteres de outros alfabetos, mas os códigos de países, como ".eg" (Egipto), tinham que ser escritos com caracteres latinos.

Ciência Hoje
10-05-2010

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Vangelis - Alpha




Castores constroem barragem de 850 metros no Canadá

Castores já estiveram perto da extinção


Maior obra do mundo natural está em construção desde 1970 e deve terminar daqui a dez anos

Um investigador canadiano descobriu uma barragem construída por castores, a maior do mundo natural, isolada e selvagem a norte do Canadá, através do Google Earth. A barragem mede 850 metros de comprimento, muito maior que a médica considerada normal num trabalho deste tipo, que não ultrapassa por norma os 100 metros.

Acredita-se que esta obra terá começado na década de 1970. “Várias gerações de castores trabalharam na construção que continua a aumentar”, afirmou Jean Thie, o ecologista que descobriu a barragem quando tentava medir, com a ajuda de fotografias por satélite a camada de permafrost (porção de gelo, terra e rochas permanentemente congeladas).

O mesmo investigador concluiu que já em 1990 o dique era visível em imagens da NASA.

A obra situa-se no Parque Nacional Wood Buffalo, no norte de Alberta. Os funcionários da reserva já tinham sobrevoado a área, mas, devido à densidade da área pantanosa, não conseguiram observar muitos detalhes. No entanto, Mike Keizer, porta-voz do parque, garantiu que “é muito antiga. Quando um dique é mais novo apresenta toras de lenha de corte recente. Nesta, a erva cresce. A aparência é de muito verde”.

Jean Thie reparou ainda que os castores estão a construir outros dois diques de cada lado da barragem principal e quem em dez anos as estruturas vão formar uma única barragem com mais de 950 metros de comprimento.

Refúgio, alimentação e construção

O objectivo deste pequeno animal é criar reservatórios de água onde possam proteger-se de predadores, fazendo fluir o próprio alimento e os materiais de construção que utilizam. Thie realça: “É um fenómeno único − diques construídos por roedores visíveis do espaço”.


Dique construído por castores pode levar mais dez anos a estar terminado



Até à descoberta desta barragem, pensava-se que a mais longa conhecida no mundo animal era de 652 metros situada em Montana, nos Estados Unidos, que faz fronteira com Alberta, no Canadá.

O castor, que já esteve perto da extinção pelo comércio das peles nos séculos XVII e XVIII, voltou com força aos antigos habitats em toda a América do Norte.

O investigador que deu de caras com esta obra natural afirma que “há diques por todo o Canadá e algumas colónias de castores contam com cem animais por quilómetro quadrado”.

Ciência Hoje
07-05-2010

INIJOVEM: Rota das estrelas e observação astronómica a 14 de maio (Nisa-Portugal).



A secção de Campismo e Montanhismo da INIJOVEM organiza no dia 14 de Maio uma caminhada semi-nocturna denominada “A Rota das Estrelas”, que tem inicio em Nisa e termina na ermida da Sr.ª da Graça, local onde decorrerão actividades de observação astronómica, efectuadas pelo Centro Ciência Viva de Constância, e actividades interactivas relacionadas com astronomia, promovidas pelo Curso Técnico de Multimédia da ETAPRONI.

O objectivo da INIJOVEM é “permitir aos participantes no Percurso Pedestre, aos sócios da associação e demais interessados, a aproximação a actividades relacionadas com esta área”, adiantando que esta iniciativa surge na sequência da participação da Associação no “Ano Internacional da Astronomia 2009, recebendo a exposição ‘Da Terra ao Universo’, cedida pelo Museu da Ciência, que esteve patente na nossa sede social de 1 a 31 de Dezembro”.

A caminhada tem inicio às 19h30 e às 21h30 terão lugar actividades de observação astronómica e actividades interactivas relacionadas com astronomia na Sr.ª da Graça, uma vez que o local apresenta excelentes condições tais eventos.

De acordo com a Associação, as inscrições devem ser efectuadas até 12 de Maio, pelo e-mail inijovem@gmail.com ou pelos telefones 934 777 819, 934 777 813 e 245 413 671.

Jornal de Nisa
07-05-2010

Entrada do Brasil em organização astronômica europeia cria polêmica


Ciência. País gastaria R$ 1,24 bilhão em 20 anos para fazer parte do European Southern Observatory, grupo formado por 14 nações da Europa que opera grandes telescópios nos Andes chilenos; ministro escreveu carta declarando intenção do Brasil de participar

Herton Escobar - O Estado de S.Paulo

A possibilidade de o Brasil entrar para uma das principais organizações da astronomia divide o meio científico nacional. Em fevereiro, o ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, escreveu para a cúpula do European Southern Observatory (ESO) dizendo que o País estava "profundamente interessado" em se juntar ao grupo de 14 países europeus. A proposta, aparentemente benéfica, revoltou parte da comunidade astronômica brasileira.

"É um absurdo, uma irresponsabilidade", diz João Steiner, do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da Universidade de São Paulo (USP). "Fiquei indignado." Segundo ele, a participação na ESO custaria ao Brasil R$ 1,24 bilhão nos próximos 20 anos, o que comprometeria a continuidade de projetos nacionais importantes em curso - além de ser incompatível com a realidade orçamentária brasileira.

"Parece-me inconcebível concordar que um país ainda em desenvolvimento pague essa quantia de dinheiro para países desenvolvidos fazerem boa ciência", diz Steiner, em uma longa carta de protesto enviada ao ministro Rezende no início deste mês.

A ESO é responsável pela construção e operação de vários telescópios de grande porte nos Andes chilenos. Entre eles, o Very Large Telescope (VLT), um conjunto de quatro telescópios de 8 metros de diâmetro que podem funcionar como um enorme telescópio de 32 metros.

Na semana passada, o grupo anunciou que vai construir também no Chile o European Extremely Large Telescope (ELT), o maior telescópio do mundo, com um espelho refletor de 42 metros de diâmetro (mais informações nesta página).

Sociedades. Ao entrar para a organização, o Brasil ganharia acesso a esses instrumentos. Hoje, o País é sócio de dois grandes telescópios no Chile, chamados Soar (de 4 metros) e Gemini (8 metros), não ligados à ESO. Steiner teme que o custo de entrar para a ESO desvie recursos e prioridades desses projetos, essenciais para a astronomia brasileira. Diz ainda que o ministro passou por cima da comunidade científica ao escrever para a ESO sem consultar os pesquisadores.

Rezende disse ontem ao Estado que o convite partiu da própria ESO e que a carta foi apenas uma maneira de abrir formalmente as negociações com os europeus. "A decisão de aprofundar essa negociação vai depender da comunidade científica", disse. "Desde o início ficou claro que o ministério não decidiria nada por conta própria."

Segundo o ministro, a participação na ESO custaria, a princípio, cerca de R$ 50 milhões por ano. Um grupo de três especialistas (dois astrônomos e um diplomata) está sendo montado, a pedido da ESO, para negociar os termos (e custos) de uma eventual parceria. "Se quisermos ser competitivos em astronomia precisamos estar ligados a esse grandes projetos internacionais", disse. "O Brasil pode ser mais ambicioso do que é hoje."

Estadão.com.br
07-05-2010

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Cidades italianas recorrem a morcegos como alternativa aos insecticidas

Morcegos podem capturar até dois mil insectos por noite


A Universidade de Florença, em Itália, lançou uma campanha intitulada “Um Morcego Amigo”, cujo objectivo é envolver a população na conservação deste animal, assim como integrá-lo num sistema biológico para eliminar mosquitos, em alternativa a insecticidas.

Grande parte das cidades italianas aderiu a esta iniciativa, pelo que estão a colocar em vários locais públicos caixas de madeira que servem de refúgio para que os morcegos - considerados excelentes predadores de insectos – possam hibernar e reproduzir-se.

Esta campanha pretende ainda trazer de volta às cidades estes mamíferos voadores que, devido à poluição do ar e à falta de locais para se instalarem, foram desaparecendo destes meios urbanos, sendo que a quantidade de mosquitos foi aumentando gradualmente.

A campanha iniciada em 2006 na cidade de Fiesole, na região da Toscana, já foi alargada a todo o país. Foram distribuídas mais de oito mil caixas - Bat Box- com compartimentos diferenciados, visto que as fêmeas preferem a parte mais quente, que fica em cima, e os machos, que gostam mais de frio, ficam na parte baixa.


Várias «Bat Box» foram instaladas de norte a sul de Itália


Estes refúgios, que podem albergar até 30 morcegos, são colocados em árvores ou no exterior de prédios, a quatro metros de altura.De forma a atrair os morcegos, os caixas foram envelhecidas e têm paredes ásperas com cortes que possibilitam que os morcegos fiquem pendurados de cabeça para baixo.

Passados quatro anos desde o início deste projecto, já foi verificado um aumento da população de morcegos nas cidades que aderiram à iniciativa, embora a colonização seja demorada e só tenha chegado aos 40 por cento.

Ciência Hoje
06-05-2010

quarta-feira, 5 de maio de 2010

O Vento nas Velas


A Cadeira

A cadeira era um objecto raro ou mesmo desconhecido fora do espaço da Cristandade, e os Descobrimentos universalizaram-na. O Japão não escapou a esta primeira vaga globalizadora.

João Paulo Oliveira e Costa

Objecto destinado ao descanso e ao convívio, a cadeira era também um símbolo de poder, pois o trono distinguia reis e imperadores. O banco era o assento mais comum, mas no tempo dos Descobrimentos a cadeira começava a vulgarizar-se. Diz Caminha que Pedro Álvares Cabral acolheu dois índios do Brasil na sua nau "sentado em uma cadeira, e uma alcatifa aos pés por estrado". A partir do século XVI, este objecto tornou-se também num símbolo de poder de muitos chefes africanos que contactavam com os Portugueses e na Índia foram experimentadas novas técnicas e novas matérias-primas, o que possibilitou, por exemplo, o aparecimento das cadeiras de palhinhas.

Cadeiras_Biombo Kobe City Museum

Chegados ao Japão logo os navegadores portugueses notaram que o acto de sentar voltava a ser problemático, até porque as refeições decorriam em torno de mesas muito baixas com os convivas ajoelhados, o que ainda hoje é muito desconfortável para a maioria dos ocidentais. Assim, por entre a panóplia de objectos que os nanbanjin introduziram no país do Sol Nascente contou-se a cadeira. Os autores dos biombos namban, tão atentos à novidade, retratam portugueses sentados em cadeiras desdobráveis, e mostram escravos ou criados de fidalgos e mercadores transportando essas cadeiras.

E também no Japão este novo objecto cedo foi experimentado como símbolo de poder. Em 1581, Oda Nobunaga, o grande guerreiro que iniciou a reunificação política do Império e que manteve uma relação amistosa com os Jesuítas, fez-se passear numa parada em Kyoto numa cadeira de estado em veludo, que lhe havia sido oferecida pelos missionários. Objecto nunca antes visto no centro do Japão, a cadeira dos portugueses realçava o poder do senhor da guerra.

Apesar de um século de convívio com os nanbanjin, os Japoneses continuaram a comer ajoelhados. A cadeira teve de esperar mais uns séculos para se tornar num objecto comum no país do Sol Nascente.

Ficha Técnica

Coordenação
Cristina Castel-Branco e João Paulo Oliveira e Costa
Assistência Tecnica
Inês Pinto Coelho e Margarida Paes
Colaboradores
Alexandra Curvelo, Ana Fernandes Pinto, Leonilde Alfarrobinha, Pedro Canavarro




Expresso
03-05-2010

terça-feira, 4 de maio de 2010

Mamutes tinham sangue anticongelante


Investigadores questionam a hipótese de se voltar a criar proteína com a mesma característica

Os mamutes tinham sangue ‘anticongelante’ que lhes permitia manter o corpo em condições perfeitas mesmo quando estavam expostos a baixas temperaturas.

O estudo, publicado na Nature Genetics, resultou de um trabalho com vários exemplares que viveram há aproximadamente dez mil anos.

Os cientistas usaram uma proteína dissolvida no sangue destes animais para poderem chegar à hemoglobina, onde se encontram os glóbulos vermelhos sanguíneos, que transportam o oxigénio através do sangue.

Além disto, os autores afirmaram que esta descoberta permitiu abrir novas linhas de investigação acerca dos ecossistemas tão frios do Pleistoceno.

Deste modo, a equipa descobriu que os mamutes tinham uma adaptação genética que permitia a sua hemoglobina libertar esse oxigénio inclusive quando deparados com temperaturas − uma capacidade normalmente inibida quando os termómetros rondam os graus abaixo do zero.

Mamutes em camadas de gelo

Os investigadores sequenciaram os genes da hemoglobina procedentes de três mamutes siberianos, que se conservaram em permafrost, a capa de gelo permanente situada nos níveis superficiais do solo em regiões muito frias, como os pólos.

Kevin Campbell, co-autor do estudo da Universidade do Canadá, afirmou que os elefantes de hoje em dia não dispõem de sangue anticongelante.

Por sua vez, o investigador do centro australiano de DNA da Universidade de Adelaida, Alan Cooper, destacou a ideia de se poder voltar a criar uma proteína com essas características.

Sem esta adaptação genética, indica Cooper, os mamutes teriam perdido energia no Inverno, obrigando-os a comer mais durante essa época para substituir a comida por energia. Os antecessores dos elefantes actuais e os mamutes do passado são originários da África equatorial.

Ciência Hoje
04-05-2010

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Engenheiros criam novo material: madeira líquida ou plástico natural

Helmut Nágele e Jürgen Pfitzer nomeados para o prémio


Mistura duradoura e ecológica causa sensação na entrega dos prémios «Inventor Europeu 2020»

Conexões à internet através de tomadas eléctricas, madeira liquida ou plástico natural, fármacos que dissolvem coágulos de sangue, sistemas encriptados como o GPS ou a Wii são algumas das invenções nomeadas para o prémio «Inventor Europeu 2010», homenageadas ontem em Madrid.

Um das invenções mais apelativas foi a madeira líquida ou plástico natural. Concebido pelos engenheiros alemães Jürgen Pfitzer e Helmut Nágele inventaram um material plástico feito de uma espécie de lã líquida chamada Arboform, que tem um aspecto de madeira e pode adaptar formas redondas.

Esta invenção consiste em misturar a lignina (o componente rígido da madeira que normalmente é queimado no processo do fabrico de papel) com resina, linho e outras fibras naturais.

A mistura pode processar-se como material termoplástico, que é muito duradouro e pode moldar-se com mais precisão que o plástico. O material é decomposto ecologicamente, tal como a madeira, na água, no húmus e no CO2. Pode utilizar-se em automóveis, móveis, brinquedos, pinos de golf e até em caixões biodegradáveis. (Abaixo pode ver o vídeo sobre este material inédito)

Também foram premiadas outras invenções, como o scanner portátil de raios laser, o GPS de uso civil, as pilhas de combustível electroquímicas (usadas pelos autocarros a hidrogénio, por exemplo).

Como finalistas ficaram ainda outros curiosos e úteis como o sensor de movimentos tridimensionais que utiliza a Nintendo Wii.

Códigos, fármacos e Internet

A maioria dos inventores são alemães, mas o evento contou com novas ideias e objectos dos vários países europeus.

Também na lista final ficou o francês Albert Gelet com a criação de uma sonda que permite matar as células do cancro da próstata sem danos para o tecido circundante.

O espanhol Jorge Blasco criou um sistema que permite a conexão à Internet através de tomadas eléctricas normais.

Da Dinamarca, o pioneiro da criptografia, Peter Landrock, foi nomeado por inventar uns códigos que ajudam a proteger a transferência dos dados electrónicos.

O biólogo molecular belga, Désire Collen, desenvolveu um medicamento de emergência eficaz para dissolver coágulos de sangue depois dos ataques cardíacos e derrames.

Ciência Hoje
30-04-2010


sábado, 1 de maio de 2010

Seca devasta parques do Quênia


A seca voltou a castigar a África, mas desta vez a preocupação dos governos não é apenas com a sobrevivência da população. No Quênia, centenas de leões, elefantes, zebras, girafas e búfalos estão morrendo.

E isso atinge em cheio o movimento de turistas, que vão ao país justamente para ver de perto os animais selvagens. Com uma das principais fontes de renda reduzida, a economia local foi atingida, prejudicando ainda mais a população já afetada pela estiagem.


Embora não haja um censo sobre os efeitos da seca no Quênia, é possível ter uma noção da extensão do problema.

No Parque Nacional de Tsavo West, por exemplo, no sul do país, foram registradas 352 mortes de animais: 104 búfalos, 61 zebras, 49 gnus, 47 hipopótamos, 36 elefantes, 26 impalas e 13 bubalús, uma espécie de antílope africano.

De acordo com John Kariuki, funcionário do parque, esse número está claramente subestimado, porque a equipe não tem capacidade de mapear os quase 10 mil quilômetros quadrados de área preservada. “Tivemos muitos outros casos que não foram reportados”, explica. “Alguns rios da região chegaram a secar totalmente.”

O Kenya Wildlife Service (KWS), órgão do governo que administra os principais parques naturais, diz que em um ano o país perdeu 2% da sua população de 2 mil zebras-de-grévy, uma das três espécies existentes no mundo. Ainda segundo o KWS, 120 elefantes e centenas de outros animais foram mortos em decorrência da estiagem.

O problema é que, assim como os dados locais do Parque Tsavo, esses números podem ser ainda maiores em praticamente todos os parques nacionais. No de Amboseli, no extremo sul, quase 60% da população de zebras e gnus morreu.

O KWS precisou colocar em prática um programa radical: transferiu 4 mil zebras e 3 mil gnus vindos de Soysambu, a 300 quilômetros de Amboseli, para alimentar leões, leopardos e hienas. Famintos, os predadores estavam atacando o gado das famílias da região, espalhando medo e prejuízos.

Elefantes órfãos recebem cuidados em parque no Quênia
Bebês elefantes são alimentados em parque nacional de Nairóbi.

Eles foram abandonados numa das piores secas na África oriental.


Bebês elefantes passeiam no centro David Sheldrick, nos arredores do parque nacional de Nairóbi, no Quênia; os elefantes ficaram órfãos após uma das piores secas na África Oriental
(Foto: Karel Prinsloo / AP Photo)

Filhotes

Os elefantes de Amboseli também foram prejudicados. Pelo menos 30 filhotes não resistiram à estiagem, principalmente por causa da morte da mãe. Nos primeiros anos de vida, os bebês precisam ser alimentados e acompanhados continuamente. Sozinhos na selva, são incapazes de sobreviver.

Na organização não-governamental David Sheldrick Wildlife Trust, localizada na capital Nairóbi, dos 53 filhotes de elefantes órfãos recebidos em 2009, 27 deles perderam a família por causa da seca.

Mas não foi só a fome e a sede que mataram os animais. Muitos foram assassinados por ex-criadores de gado que, após perderem grande parte de seus rebanhos com a seca, resolveram voltar à atividade ilegal da vender marfim.

A ONG funciona como um berçário para os filhotes, que recebem cuidados até que tenham autonomia para sobreviver na selva. “Os bebês elefantes precisam comer folhas verdes, mas, por causa da seca, só sobraram gravetos ressecados. Pela deficiência alimentar, as mães não produziam leite o suficiente para alimentá-los”, afirma Tal Manor, uma das funcionárias da ONG em Nairóbi.

“Vimos elefantes que estavam há duas semanas tentando sair da lama por causa da fraqueza.”

Algo semelhante ocorreu na Reserva Nacional de Maasai Mara, na fronteira com a Tanzânia, onde o Rio Mara chegou a baixar 1,5 metro. Os guardas do local contam que, há dois anos, era fácil enxergar dezenas de crocodilos nas margens do Mara. Hoje, têm sorte os turistas que conseguem avistar um ou dois.


Cenário para milhares de visitantes que vêm a Maasai Mara para ver a migração de gnus, zebras e outros animais nos meses de julho e agosto, o parque decepcionou os visitantes em 2009. “Eles reclamaram de não terem visto muitos animais”, conta o guia Laurence Kiarie.

Outro motivo pelo qual a dimensão do prejuízo aos parques ainda não pode ser quantificada é o fato de que, com o desequilíbrio na cadeia alimentar, o problema está apenas começando: “Nossas equipes estão em estado de alerta em muitas regiões”, afirma Paul Udoto, porta-voz da KWS. “Vai levar anos para que as populações herbívoras sejam recuperadas.”

O país do leste africano há décadas sofre com a escassez de chuvas, mas a seca de 2009 foi a mais devastadora dos últimos 15 anos. Nos meses de julho e agosto, o esperado período de chuvas não chegou e tornou a situação ainda mais calamitosa.

De acordo com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), a seca foi intensificada não só pelas mudanças climáticas, mas também pelo desmatamento. Nos últimos anos, mais de 100 mil hectares da Floresta Mau, na região central – o equivalente a um quarto da mata original – foram derrubados para dar lugar a plantações.

A floresta é responsável por regular o ciclo de chuvas e abastecer as principais bacias hidrográficas da região, que fornecem água para o parque de Serengeti, Tanzânia, e para o Lago Vitória, que dá origem ao Nilo.

“A floresta armazena água nos períodos de chuva e libera nos quatro meses de seca, impedindo que os rios sequem”, explica o diretor de políticas ambientais do Pnuma em Nairóbi, Tim Kasten. “Com o desmatamento, Mau perdeu essa habilidade de reter e liberar água.”

Tópicos: , Sustentabilidade, Seca Planeta, Quênia, Animais, Parques, Vida &, Planeta

O Estadão

Fernanda Paiva

29 de abril de 2010 15h 51