quarta-feira, 2 de junho de 2010

Corte do cordão umbilical adiado beneficia saúde do bebé

Cordão umbilical contém células importantes para a saúde da criança


No primeiro minuto após o nascimento, os médicos prendem o cordão umbilical para que este pare de pulsar. É um procedimento comum nas maternidades dos dias de hoje, mas uma revisão sobre o tema indica que esperar até o cordão deixar de pulsar traz múltiplos benefícios para a saúde da criança.

Vários estudos sobre o tema têm reforçado a importância do sangue do cordão umbilical, rico em células estaminais, para a saúde do bebé.

Num estudo, liderado por Paul Sanberg, da Universidade do Sul da Florida, nos Estados Unidos, os cientistas salientam terem verificado que estas células do sangue do cordão umbilical ajudam a evitar problemas, como doenças respiratórias crónicas, anemia, problemas da visão, septicemia e, até, hemorragia cerebral.

A prática de prender o cordão começou há cerca de 50 anos, quando não se sabia a importância das células estaminais.

Segundo o cientista, parar essa transferência de sangue antes que essa função cesse por si própria é contraproducente.

O cientista refere até o facto de, antes de o parto ser realizado amplamente em ambiente hospitalar, as mulheres darem naturalmente à luz de cócoras, uma posição que facilitaria a passagem do sangue do cordão umbilical para o bebé nos momentos após o nascimento.

Cientistas alertam mães

Actualmente, cada vez mais os médicos alargam o período do entre o parto e o e corte do cordão, porque muitas mães pedem para que o bebé seja colocado na sua barriga antes do corte, facto que atrasa ainda mais esse procedimento.

Os cientistas fazem questão de alertar as mães que esperar mais tempo até que seja efectuado o corte não irá impedir que, caso queiram, as células do cordão umbilical sejam guardadas para uso futuro, procedimento cada vez mais comum no mundo ocidental.

Ciência Hoje
01-06-2010

2 comentários:

Bottary disse...

Dr.Armindo,eheheh!

Fiquei feliz por ler esta notícia científica.

Vibro com os avanços da ciência de uma maneira em geral.

Os cientístas são, para meu entendimento, homens missionários com propósitos únicos e exclusivos de trazerem à humanidade o que de melhor possa existir na sua qualidade de vida.

À todos os que se propõem a fazê-lo, desejo que sejam felizes em suas realizações.

Manuel disse...

OLà Mazé! olà Mindo!ai! eu depois de ver este poste quero voltar para o ventre da minha mae, e me tonar a ligar ao cordao umbilical e ficar là, mais uns tempos.Ando a precisar de células estaminais e nao tenho outra soluçao.Gostei de saber mais sobre este assunto pode ser mesmo um passo pra frente.Beijos e abraços