sexta-feira, 23 de julho de 2010

Festival de Teatro da Lusofonia no Rio



O Rio de Janeiro acolhe até domingo, a Terceira Edição do Festival de Teatro da Lusofonia (Festlip). Vários são os grupos de Angola, Moçambique, Portugal, Brasil, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Guiné-Bissau e ainda de Timor Leste que estão presentes com algumas das suas criações teatrais. A ideia deste festival é da sua directora artística, a também actriz brasileira Tânia Pires com quem a Ana Guedes conversou.


voanews.com
23-07-2010

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Consumo de chá verde «organiza» gordura corporal



Investigação da FMUP estuda a possibilidade
de alterar a “qualidade” do tecido adiposo


O consumo de chá verde favorece a “redistribuição” da gordura corporal, diminuindo aquela que se concentra na barriga - tecido adiposo visceral -, que é mais prejudicial para a saúde do que a gordura que se acumula por debaixo da pele, sobretudo nas coxas e nádegas - tecido adiposo subcutâneo.

A conclusão é de uma equipa de investigação da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) que tem vindo a estudar os efeitos de vários componentes alimentares na gordura corporal. “Este trabalho teve como objectivo esclarecer os mecanismos de acção do chá verde no tecido adiposo”, explica Rosário Monteiro, investigadora do Serviço de Bioquímica da FMUP.

Os investigadores avaliaram dois grupos de ratos, sendo que a um foi dado a beber chá verde durante meio ano e, ao outro, foi dado água. Todos os animais aumentaram de peso ao longo do período de estudo, mas os ratos do grupo que consumiu chá verde ganharam menos peso do que os ratos do grupo de controlo.

Os cientistas analisaram as diferenças encontradas no tecido adiposo subcutâneo e visceral nos dois grupos de ratos, e verificaram que o tecido adiposo dos animais que beberam chá verde apresentava um número maior de células em proliferação e adipócitos (células que armazenam gordura) mais pequenos do que os encontrados no grupo de controlo.

O consumo de chá verde também aumentou o número de células em apoptose - morte celular programada - no tecido adiposo visceral, favorecendo a sua redução. Segundo a autora, “estes resultados podem advir da estimulação da produção de estrogénios no tecido adiposo provocada pelo chá verde”.


Isto significa que o consumo de chá verde interfere na “organização” da gordura corporal, criando um padrão celular mais saudável e menos propenso ao desenvolvimento de patologias.

Hoje, sabe-se que é mais negativo para a saúde ter adipócitos de grande dimensão do que possuir uma grande quantidade de pequenos adipócitos, uma vez que estes últimos são mais funcionais do que os primeiros.A acumulação de gordura no abdómen aumenta o risco de desenvolver hipertensão, dislipidemia, resistência à insulina e intolerância à glicose. Juntos, estes sintomas constituem a síndrome metabólica, reconhecida pela comunidade científica e médica como promotora de doenças cardiovasculares, diabetes, asma e alguns tipos de cancro.
Uma vez que actualmente a obesidade assume proporções epidémicas, a importância de desenvolver estratégias multidimensionais para resolver este problema não pode ser descurada, pelo que estes resultados sobre os efeitos da ingestão de chá verde dão pistas importantes sobre a possibilidade de alterar a “qualidade” da gordura corporal.

Ciência e Vida
22-07-2010

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Tempestade tropical segue à China enquanto mortos chegam a 700


PEQUIM (Reuters) - O sul da China está se preparando para sua segunda forte tempestade em menos de uma semana, enquanto o número de mortos pelas enchentes e deslizamentos de terra causados pelas chuvas torrenciais já ultrapassou 700, com centenas desaparecidos.

A tempestade tropical Chanthu deve se aproximar do continente nas províncias de Guangdong e Hainan na quinta-eira, e pode se fortalecer ao passar pelo mar do Sul da China. O governo aconselhou as população a ficar dentro de casa, disse a agência oficial de notícias Xinhua.

O tufão Conson passou pela ilha turística de Hainan na semana passada, matando duas pessoas, antes de seguir em direção ao Vietnã.

Grande parte da região sul e central da China tem sofrido com enchentes e deslizamentos de terra depois de semanas de chuvas torrenciais.

Ao menos 701 pessoas morreram desde o início do ano em consequência das chuvas, e outras 347 estão desaparecidas, disse o governo nesta quarta-feira.

A dimensão da devastação, com mais previsão de chuvas, tem aumentado os temores de outro gigantesco desastre na escala das enchentes do rio Yangtze em 1998. Mas Liu Ning, vice-ministro dos Recursos Hídricos, disse que isso não aconteceria.

A China está muito melhor preparada que em 1998, quando mais de 4 mil pessoas morreram, e o volume total de água não está tão alto apesar dos níveis de alguns rios terem subido acima dos níveis mais altos daquele ano.

"O nível da água no médio e baixo curso do rio está um metro abaixo do nível de 1998, apesar de alguns trechos e lagos estarem se aproximando ou excedendo os níveis de alerta", disse ele em coletiva de imprensa.

Desde então, diques foram melhorados e a gigantesca usina Três Gargantas foi completada. Apenas alguns diques falharam, diferente da situação em 1998, quando milhares falharam, disse Liu.

(Reportagem de Ben Blanchard)


Astrônomos encontram 'maior estrela do universo'

"Agrupamento de estrelas RMC 136a"

Astrônomos britânicos descobriram o que se acredita ser a maior estrela do universo, cuja massa atual é 265 vezes maior do que o sol e a luminosidade cerca de 10 milhões de vezes mais intensa.

Usando o Telescópio Extremamente Grande, no Chile, da Organização Europeia para a Investigação Astronômica no Hemisfério Sul (ESO, na sigla em inglês) - que reúne 14 países - e informações de arquivo capturadas pelo telescópio espacial Hubble, da agência americana (Nasa), a equipe liderada pelo astrofísico Paul Crowther, da Universidade de Sheffield, calculou que a massa da estrela gigante teria sido 320 vezes maior que a do sol no momento de sua formação, ou seja, pelo menos o dobro da massa da maior estrela já encontrada.

A estrela, batizada de RMC 136a1, faz parte do agrupamento de estrelas jovens RMC 136a. Os astrônomos também encontraram outras estrelas imensas no agrupamento NGC 3603.
Ambos agrupamentos estelares foram apelidados de "fábricas de estrelas", já que novos astros se formam constantemente a partir da extensa nuvem de gás e poeira das nebulosas.

O NGC 3603 fica a 22 mil anos-luz do sol, na Nebulosa da Tarântula, e o RMC 136a fica em uma galáxia vizinha à nossa, a 165 mil anos-luz de distância, a Grande Nuvem de Magalhães.

Segundo o artigo publicado na revista científica Monthly Notices of the Royal Astronomical Society, a expectativa é de que estrelas colossais como as encontradas existam apenas durante alguns milhões anos, antes de explodirem.

A existência de estrelas como essas, afirmam astrônomos, era mais comum no início do universo.

Planetas

Ainda segundo os cientistas, é pouco provável que alguma dessas estrelas venha a ter planetas orbitando a seu redor, já que demoram mais tempo para serem formados que a "curta" vida das estrelas.

Muitas das estrelas observadas têm temperatura superior a 40 mil graus centígrados - mais de sete vezes superior à temperatura do sol - além de serem dezenas de vezes maiores e milhões de vezes mais brilhantes que o astro.
"Ao contrário dos humanos, essas estrelas nascem pesadas e vão perdendo peso ao envelhecer", disse Crowther.

"Com um pouco mais de um milhão de anos, a estrela mais extrema, a RMC 136a1 já está na 'meia idade' e passou por um programa intenso de 'emagrecimento', perdendo mais de um quinto de sua massa inicial neste período, ou mais de 50 massas solares."

Se a RMC 136a1 substituísse o sol em nosso Sistema Solar, "a sua grande massa reduziria a duração de um ano na Terra para apenas três semanas e banharia o planeta em uma radiação ultravioleta incrivelmente intensa, tornando a vida impossível em sua superfíce", afirma Raphael Hirschi, da Universidade de Keele, integrante da equipe.

Estrelas como essas são extremamente raras e se formam apenas nos agrupamentos estelares mais densos.

Se houvesse algum planeta dentro do agrupamento RMC 136, o céu nunca escureceria, já que a densidade de estrelas na região é 100 mil vezes maior do que em torno do sol e muitas delas são extremamente brilhantes.

A descoberta ainda confirmou a hipótese anterior dos astrônomos, de que há um tamanho máximo para estrelas, e a RMC 136a1 levou os cientistas a estenderem este limite.

domingo, 18 de julho de 2010

Concentração de gases-estufa é a maior já registrada, diz agência da ONU


Cálculo divulgado nesta segunda é da Organização Meteorológica Mundial.
Ação do CO2, metano e óxido nitroso se intensificou 26% desde 1990.

A Organização Meteorológica Mundial (WMO, na sigla em inglês), agência das Nações Unidas, afirmou nesta segunda-feira (23) que os gases causadores do efeito estufa, fenômeno que gera altas incomuns da temperatura global, alcançaram em 2008 os maiores níveis desde 1750.

Desde 1990, a ação do dióxido de carbono, do metano e do óxido nitroso - os três gases-estufa de longo prazo - de “aprisionar” a radiação solar se intensificou 26,2%Entre 2007 e 2008, a alta foi de 1,3%.


O nível de dióxido de carbono (CO2) chegou a 385,2 ppm (partes por milhão, ou número de moléculas do gás a cada milhão de moléculas de ar). Antes da Revolução Industrial, a concentração de CO2 na atmosfera mantinha-se estável em aproximadamente 280 ppm.

O dióxido de carbono, com uma concentração atmosférica 38% superior à vigente na era pré-industrial,responde por 63,5% do efeito-estufa total. Responde, contudo, por 85% da alta do fenômeno na última década e por 86%, nos últimos cinco anos.

O metano (CH4) é culpado por 18,2% do bloqueio de radiação. Antes da era industrial, apresentava uma concentração de aproximadamente 700 ppb (partes por bilhão, ou número de moléculas do gás a cada bilhão de moléculas de ar). No ano passado, havia alcançado 1.797 ppb, uma alta de 157%.

O óxido nitroso (N2O) contribui com 6,2% do efeito estufa global. Saltou 19% da era pré-industrial para cá. Eram 270 ppb. Agora são 321,8 ppb.

Os números constam do "Greenhouse Gas Bulletin".

Copenhague

A WMO monitora a concentração desses gases na atmosfera por meio de uma rede de estações localizadas em mais de 50 países.

O boletim divulgado nesta segunda-feira é o quinto de uma série anual iniciada em 2004 e é divulgado às vésperas da Conferência da ONU sobre mudanças climáticas, que será realizada de 7 a 18 de dezembro, em Copenhague, na Dinamarca.

A reunião de Copenhague teve como objetivo fechar um novo acordo global sobre o clima para substituir o Protocolo de Kyoto, que expira em 2012.

Mais de 60 chefes de Estado e de governo, entre eles o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, e a chanceler alemã, Angela Merkel, confirmaram participação na reunião e um cumpriram o prometido.

O chefe da agência, Michel Jarraud disse em coletiva de imprensa, em Genebra, que os dados da WMO mostram que o mundo está "de fato mais próximo do cenário mais pessimista" em relação ao aquecimento global nos próximos anos.

"Isso reforça o fato de que é preciso adotar medidas o mais rápido possível", disse. "Estamos esperando que Copenhague dê origem a uma decisão significativa em relação aos gases do efeito estufa. Quanto mais adiarmos uma decisão, maior será o impacto."

O pior cenário quanto ao aquecimento global, divulgado pelo Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês) em um relatório de 2007, prevê um aumento de temperatura de entre 2,4ºC e 6,4ºC até o fim do século.

Obs do Elo Geográfico:

Podemos constatar diante de relatórios e pesquisas, que o planeta está em alerta, devido ao descaso da humanidade com relação ao Meio Ambiente.

A cada ano que passa o clima da terra está mudando, as geleiras estão derretendo e o nível das águas dos mares estão aumentando, chegando já hoje a inundar grande parte de algumas capitais e regiões litorâneas.

Cito como exemplo bem perto daqui onde moro, praia como a de Iparana, que há anos tínhamos a imensidão de areia para os banhistas desfrutarem desse ambiente natural, hoje estão totalmente cobertas pelas águas, devido o avanço constante do mar, em consequência das mudanças do clima, do aumento da tempertura e enfim do desequilíbrio Ecológico em nosso planeta Terra.

A Praia de Iparana localizada na zona oeste de Fortaleza, é um desses exemplos de mudanças do clima. Hoje em vez da areia, existe apenas pedras; os arrecifes de corais e paredões artificiais construídos pelo homem, para regredir o avanço do mar onde este com suas ondas imensas, já devastou grande parte das casas de veraneio existente naquele ambiente.

Eu sou uma das pessoas que lamento o que está acontecendo com a natureza, que com ela não se brinca. Faz tantos anos atrás que eu frequentava a praia de Iparana onde a paisagem era bela, onde podíamos tomar banho de mar tranquilamente sem o perigo de esbarrar com pedras ou falésias vivas que ainda estão em contacto direto com o fluxo das marés e pela ação da chuva e dos ventos.

As falésias ocorrem em quase todo o litoral brasileiro. Mas, as mais interessantes, do ponto de vista visual e turístico, são as chamadas Formação Barreira - mais comuns nos estados do Rio Grande do Norte e Ceará.

Depois poderemos trazer para o Elo uma matéria bem detalhada sobre as falésias, que para muitos é um assunto desconhecido, embora as vezes conviva-se diretemente com elas.

Estamos vendo o perigo e o risco que estamos correndo se a humanidade não parar para refletir e agir em relação a natueza e na preservação do Meio Ambiente. Tomar consciência seria o primeiro plano e depois as ações em benefício do mesmo.
.
.

País criou 212.952 vagas formais de emprego em junho



O Ministério do Trabalho informou hoje que o saldo líquido de empregos criados com carteira assinada no País em junho foi de 212.952, o segundo melhor resultado para o mês.

De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), a geração de vagas de emprego superou as demissões em 1.473.320 postos formais de trabalho no primeiro semestre de 2010. Este foi o melhor semestre da história do Caged.

Ontem, o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, já havia adiantado que, com os dados de junho, o saldo total de novas vagas na primeira metade do ano chegaria próximo a 1,5 milhão.

A meta do governo é atingir 2,5 milhões de empregos novos com carteira assinada este ano, já descontadas as demissões. Ontem mesmo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva enfatizou esse objetivo durante cerimônia com representantes da União Europeia, no Palácio do Itamaraty.

Obs:

Notícias como essas são bem vindas e bem aceitas pela população sofrida diante de tantos problemas que a mesma enfrenta, como a pobreza, a miséria,a falta de moradia, e de oportunidade para que o cidadão possa usufruir dos seus direitos e deveres de cidadão.

Muito promissor sabermos que hoje o Brasil divuulga, para a alegria da nação e dos mais sofridos e discriminados, que o País com o aumento nas ofertas de empregos, supera as demissões, dando-nos a capacidade de poder oferecer uma vida mais dígna ou melhor acabar um pouco com a fome que ainda assola a nossa nação, se não fosse o descaso dos políticos, governo, empresários e a população privilegiada, que preocupa-se com o bem próprio, onde os ricos continiuam mais ricos eos pobres cada vez mais pobres.

Não podemos deixar de aplaudir o nosso país por ter alcançado um patamar superior em relação a economia, ao crescimento econômico, onde o Brasil lá fora, é bem visto, e bem aceito como uma nação que tem buscado o seu desenvolvimento utilizando as suas riquezas no setor agrário, industrial.

Sendo bem administrado,esses produtos poderão gerer mais riquezas para a Nação, podendo assim desenvolver projetos sociais, melhorando o nível de ensino, criando mais escolas e proporcionando reciclagem para que haja um melhor aprimoramento dos profissionais que irão formar os futuros cidadãos áptos para engajar dentro da sociedade capaz de assumir empregos com um auto poder de consciência e capacidade e profissionalimo.

Agencia Estado

Por Célia Froufe

Atualizado: 15/7/2010 11:34

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Galinha surgiu antes do ovo

Enigma foi desvendado por investigadores ingleses


O enigma sobre o que surgiu primeiro, se o ovo ou a galinha, foi esclarecido por investigadores das Universidades de Sheffield e Warwich, no Reino Unido.

De acordo com os resultados obtidos, a galinha apareceu antes, na medida em que a formação da casca do ovo depende de uma proteína que só é encontrada nos ovários deste tipo de ave. Assim sendo, o ovo só pôde existir depois de ter surgido a primeira galinha.

A proteína em questão - ovocledidin-17 (OC-17) - actua como um catalisador para acelerar o desenvolvimento e cristalização da casca, cuja estrutura rígida é necessária para abrigar a gema e os seus fluidos de protecção, enquanto o pinto se desenvolve.

Nesta investigação foi utilizado um super computador – HECToR - para visualizar de forma ampliada a formação de um ovo. Este indicou que a OC-17 é fundamental no inicio da formação da casca, pois transforma o carbonato de cálcio em cristais de calcita, que compõem a casa do ovo.

Segundo Colin Freeman, do Departamento de Engenharia Material da Universidade de Sheffield, "há muito tempo que se suspeita de que o ovo surgiu primeiro, mas agora há provas científicas de que a galinha foi sua precursora."

John Harding, outro cientista da mesma universidade, considera que o estudo poderá servir como base para outras investigações. "Entender como funciona a produção da casca de ovo é interessante, mas também pode ser uma pista para a concepção de novos materiais e processos", referiu.

Ciência Hoje
14-07-2010

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Eclipse Solar escurece a Ilha de Páscoa

Eclipse Solar



Dom, 11 Jul, 07h02


HANGA ROA, Chile (AFP) - A enigmática Ilha de Páscoa foi completamente obscurecida neste domingo por mais de quatro minutos, durante um eclipse solar, o sétimo no século XXI, que deixou anteriormente a Polinésia Francesa e as Ilhas Cook na penumbra.






Centenas de cientistas - conhecidos como caçadores de eclipses - além de turistas e moradores locais, posicionados nas praias desta ilha, localizada a 3.500 km do continente sul-americano, observaram atônitos o fenômeno entre gritos de alegria e aplausos, comentou à AFP o funcionário municipal Francisco Haoa.



"É como se estivesse no estádio à noite, com a luz artificial. Parecia que tinha entrado em um quarto escuro com uma luz de 10 watts", disse Haoa, administrador da Corporação Cultural do Município de Ilha de Páscoa.



"Primeiro começou com sombra, e o céu estava espetacular porque estava limpo e azul, com muito vento, que afastou as nuvens", disse Haoa.



"Todos aplaudiam. Inclusive foi visto um objeto luminoso próximo ao local e as pessoas começaram a dizer que, com certeza, tratava-se de um OVNI", acrescentou, emocionado, o funcionário.


"O eclipse manteve as pessoas em expectativa - olhavam para o céu com câmeras e binóculos especiais, com filtros especiais", acrescentou.



"Muitos estavam felizes porque na China (onde ocorreu o eclipse solar há dois anos) o mau tempo prejudicou a visibilidade e, aqui, puderam vê-lo por completo", concluiu.

No Taiti, local onde há muitos fãs de futebol, muitos deixaram de lado a televisão, onde viam a final da Copa do Mundo disputada entre Espanha e Holanda, para sair às ruas e observar o fenômeno.


quinta-feira, 8 de julho de 2010

O Amigo do Rei


Por Bottary

qui, 08/07/10 por Thiago Dias categoria Sem Categoria

Emocionada com a classificação da Espanha para a final da Copa do Mundo pela primeira vez, a rainha Sofia visitou os jogadores no vestiário após a vitória por 1 a 0 sobre a Alemanha, na África do Sul.

Sempre sorridente, a esposa grega do rei Juan Carlos I falou com todas as pessoas da delegação. Faltava um: o herói Puyol, autor do gol. E então o zagueiro do Barcelona surgiu, só de toalha, quase pelado. A rainha não perdeu a pose, parabenizou o jogador e ainda comandou as palmas para o cabeludo.

globoesporte.com


Claro que foi muito bacana esta classificação da Espanha na final da Copa do Mundo! É uma das que mereceu entrar também para a história do futebol mundial.
Vai ser uma parada dura!





domingo, 4 de julho de 2010

"Ninguém é flor que se cheire!"



.
Por Bottary

No meu levantar de hoje, acordei-me assustado por levar muito a sério este ditado acima citado, uma vez que algo preocupante em nossas vidas, é exatamente isso, qual seja, estarmos sempre nos perguntando: “ ...quem é honesto?... em quem confiar?...”

Se temos vários ditados populares, assustei-me com este “ispis literis”, porquê, claro, também tô “no mesmo barco”, ou seja, não sou também flor que se cheire. Entretanto, afinal de contas, quem é?

Aquele que se considera super-honesto, “que atire a primeira pedra”. Mas ao atirarem, se atirarem, por favor, cuidado para não acertar nem em mim, nem na minha Patroa Mazé, porque ela não tem nada haver com isso.

Procuro ao longo dos meus meio século e seis anos de vida terrena e boêmia, alguém que me possa apresentar, pelo menos, uma pessoa que a gente possa cheirar. Deve ter um perfume extasiante! Uma pessoa completamente sem defeitos.

Será que os mágicos teriam a possibilidade de fazer aparecer em sua cartola, alguém neste nipe, pra gente poder então inalar este perfume indescritível, que somente, acredito eu, teria somente em mundos mais angelicais?

Deve ser bom por demais, cheirar alguém que é flor que se possa cheirar; alguém quê, não obstante já estar bem adiantado moral e intelectualmente, não tenha lá num período da vida, seja ela na adolescência ou não, cometido aquilo quê, naquele momento pensou quê, ninguém viu.

Mas, a consciência dói! Ah! Como dói! Claro que se pudéssemos não faríamos novamente. Morreríamos de vergonha, haja visto que o tempo ajuda em nosso amadurecimento, atitudes e pensamentos.

Outrossim, ficamos à mercê agora do comportamento mais condizente com o de uma pessoa mais civilizada. Amadurecida interiormente falando. Mesmo assim, eu diria quê: Não pisem no meu calo!

Agora, o que mais me assustou, meus caros leitores deste blog “mais melhor do mundo e arredores”, do Universo, foi pensar que alguém pudesse pensar a ridícula idéia de achar que possa ter o direito de também incluir o NMQT, naquele barco.

Isto, eu não posso admitir. Não vou admitir.

Ele, eu já disse mais de mil vezes, que ele é um ser que está há muitos anos-luz daqui. Porquanto, é sim, flor que se possa cheirar!

E assunto encerrado!

sábado, 3 de julho de 2010

O que fazer para esquecer um grande amor?


A missão é quase impossível, pois cérebro registra para sempre esta emoção. Até deixa-se de sofrer, mas fica-se eternamente vulnerável

Por Clarissa Mello

Rio - ‘Não adianta nem tentar me esquecer; durante muito tempo em sua vida eu vou viver’. Mais do que uma simples canção, a letra de Roberto Carlos retrata fielmente o que acontece quando um relacionamento termina: quanto mais se deseja superar, mais as lembranças surgem para apertar o peito. É quase impossível esquecer um grande amor, afirmam especialistas que participaram do Congresso Brasileiro de Cérebro, Comportamento e Emoções, no Rio Grande do Sul.

Segundo eles, experiências emocionais significativas — como as vivenciadas com a pessoa amada — ficam gravadas para sempre no cérebro. Por isso, resgatar essa memória, mesmo só em pensamento, faz com que a mente reaja como se a estivesse revivendo de fato.

“O simples fato de ver a pessoa na rua faz com que o sentimento volte e você reviva toda a experiência.”, afirma o professor de Neurologia da Universidade de Iowa (EUA), Antoine Bechara. “É como um vício. A pessoa pode até deixar de sentir a dor do amor perdido, mas estará sempre vulnerável”.

Segundo o neurologista André Palmini, com o passar do tempo, o impacto que a pessoa amada causa no cérebro diminui. Porém, sempre que reencontrá-la, a sensação será diferente da que se tem ao encontrar um amigo ou conhecido.

'LUTO’ NECESSÁRIO

“Isso ocorre porque a amígdala cerebral marcou essa pessoa como extremamente relevante na memória. Então vem o frio na barriga. Quando você não está mais com ela, essa sensação é desconfortável, surge num contexto de racionalidade da perda. Daí vem a angústia, a dor, o arrependimento”, explica Palmini.

Bechara ressalta que é mais fácil esquecer um amor quando a pessoa ‘desaparece’: muda de endereço e telefone e não dá mais notícias. Ou morre. Por isso, quem realmente quer deixar de pensar em alguém precisa evitar o contato ou, como ensinam os psiquiatras, devem ‘viver o luto da relação’.

Quando a pessoa ainda está por perto, ainda que em fotos e cartas, é mais difícil esquecer. Trocando em miúdos, ouça os conselhos de Chico Buarque: devolva o Neruda que você nunca leu e livre-se das sombras do amor que acabou.

“Desvencilhar-se dos objetos é uma forma de evitar lembranças e se ajudar. Não fique relendo cartas e vendo fotos da relação que acabou”, orienta a psiquiatra Carmita Abdo.

Como ensinou o poeta Carlos Drummond de Andrade: “A dor é inevitável. O sofrimento é opcional”.

Memórias extintas em laboratório

Imagine se você pudesse esquecer a dor de um relacionamento que deu errado, apagando de vez o fantasma do ‘ex’? Foi possível no filme ‘Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças’, com Jim Carrey e Kate Winslet, e, para especialistas, pode ser possível na vida real. Segundo o neurologista André Palmini, a chamada ‘extinção da memória’ tem sido objeto de estudo. Mas não para esquecer um grande amor, e sim tratar transtornos pós-traumáticos.

Pesquisadores da Universidade de Nova Iorque (EUA) já conseguiram ‘apagar’ do cérebro de ratos lembranças de medo. Primeiro, expuseram os animais a dois sons diferentes. Ao mesmo tempo, davam choques elétricos nas cobaias, para que elas associassem os sons à dor e ao medo.

Cada vez que ouviam os barulhos, os ratos lembravam do choque e sentiam medo. Depois, os cientistas drogaram parte dos roedores com U0126, substância experimental que induz à perda da lembrança. Em seguida, expuseram novamente estes ratos a um dos sons, mas sem dar-lhes choques.

Depois de retirar a droga dos ratos, os cientistas descobriram que os animais perderam o medo daquele som ao qual foram expostos enquanto estavam drogados. Eles não ‘aprenderam’ a não ter medo do som, e sim ‘esqueceram’ aquela lembrança.

FASES DO FIM
Carmita Abdo, psiquiatra, explica que, quando a relação acaba, a pessoa passa por fases que, em alguns momentos, se intercalam.

ANSIEDADE
Diante da iminência da perda eterna, a pessoa se descontrola e só consegue pensar no fim.

NEGAÇÃO
A pessoa nega para si mesma que a relação acabou ou nega a importância do fato.

REALIZAÇÃO
Nesse momento, a pessoa percebe que, de fato, o relacionamento acabou. É seguida de dois tipos de reações: adaptação (quando a pessoa tenta criar uma rotina para lidar com a perda) ou revolta e vingança.

RESOLUÇÃO
É quando a pessoa decide, de fato, lidar com a situação e superar a perda. Normalmente, pode levar até dois anos depois do fim do relacionamento.

Filme discute se vale realmente a pena apagar alguém da memória para sempre

No filme ‘Brilho Eterno de Uma Mente sem Lembranças’ (de 2004), Jim Carrey interpreta Joel, jovem que se apaixona perdidamente por Clementine, interpretada por Kate Winslet. Após viverem um romance conturbado, a relação termina. Um tempo depois, Joel descobre que Clementine o deletou para sempre de sua memória.

Inconformado e frustrado por ainda amar uma pessoa que já o ‘superou’, ele resolve retribuir na mesma moeda e submete-se ao procedimento. Entretanto, no meio do processo, Joel percebe que não quer deletar Clementine. Ao contrário, ele quer manter vivas todas as lembranças de momentos felizes — e tristes — que passaram juntos.

Mais do que uma simples história de amor, o roteiro de ‘Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças’ trata da complexidade do cérebro, focando, principalmente, na memória e emoção. Ao tratar com sensibilidade a urgência e o desespero de quem sofre por amor, o roteirista Charles Kaufman traz à tona para os espectadores o questionamento principal do filme: será que realmente vale a pena apagar alguém para sempre da memória?

Ciência e Vida
O Dia Online
03-07-2010

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Vénus poderá ter sido um planeta habitável

A nave Venus Express estuda evidências de água no planeta




A missão da Agência Espacial Europeia (ESA), Venus Express, está a ajudar os cientistas a investigar a possibilidade de Vénus ter tido oceanos. Caso se confirme, a história do astro até pode ter começado num planeta habitável, semelhante à Terra.

Actualmente, ambos são completamente diferentes: a Terra é um mundo luxuriante, onde a vida abunda, enquanto Vénus é infernal, com a sua superfície a ferver a temperaturas superiores às de um forno da cozinha. Apesar das diferenças, “partilham inúmeras semelhanças” – têm praticamente o mesmo tamanho e agora, com a neve da ESA Venus Express, os cientistas planetários verificam que existem outras semelhanças também –, disse Håkan Svedhem, cientista do projecto da Venus Express .

Mas, Vénus tem muito pouca água e se a dos oceanos terrestres fosse espalhada uniformemente pela superfície da Terra, formaria uma camada com três quilómetros de profundidade. Se condensássemos o vapor de água presente na atmosfera de Vénus, formar-se ia um pântano com três centímetros.



Vénus perdeu grandes quantidades de água (Imagem: ESA/MPS/DLR/IDA)

Contudo, há milhares de milhões de anos, Vénus tinha provavelmente muito mais água; já que se confirmou que o planeta perdeu uma grande quantidade para o espaço – porque a radiação ultravioleta do Sol atravessa a atmosfera de Vénus separando as moléculas de água em dois átomos: dois de hidrogénio e um de oxigénio. E estes acabam por se escapar para o espaço.

A Venus Express mediu a taxa a que estes gases se escapam e confirmou que para o hidrogénio a taxa é duas vezes superior à do oxigénio. Acredita-se, por isso, que a água é a fonte destes iões que se evadem. Verificou-se também que uma forma de hidrogénio pesado, chamado deutério, está a ser enriquecido progressivamente nas camadas mais elevadas da atmosfera de Vénus, já que para o hidrogénio pesado não é tão fácil escapar.

“Tudo indica que tenha havido grandes quantidades de água em Vénus, no passado”, diz Colin Wilson, da Universidade de Oxford, Reino Unido. Mas isto não significa, necessariamente, que tenha havido oceanos na superfície do planeta.

Modelo de Chassefière

Planeta é actualmente árido (Imagem: J. Whatmore)


Eric Chassefière, da Universidade Paris-Sud, França, desenvolveu um modelo computacional que sugere que a água tenha existido sobretudo na atmosfera, em tempos muito primitivos, quando a superfície estava totalmente fundida. À medida que as moléculas de água se separavam em átomos, pela acção da luz do sol, e escapavam para o espaço, a consequente descida na temperatura desencadeou provavelmente a solidificação da superfície.

Apesar de ser difícil testar esta hipótese, esta é uma questão que impera. Se Vénus alguma vez tivesse tido água à superfície, seria possível que o planeta tivesse passado por uma fase inicial de habitabilidade. Mesmo correcto, o modelo de Chassefière não exclui a hipótese de os cometas que colidem com o planeta tenham trazido água adicional depois da superfície ter cristalizado, criando zonas com água em que vida tivesse tido condições para se formar.

Há muitas questões em aberto. “São precisos modelos mais extensos do sistema magma oceano e atmosfera e da sua evolução para que se perceba a evolução do jovem planeta Vénus”, sustentou Chassefière. Criados estes modelos computacionais, os dados fornecidos pela Vénus Express revelar-se-ão cruciais.


Ciência Hoje
01-07-20120