quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Brasileiros são o segundo povo mais otimista do mundo, diz pesquisa


A maioria dos brasileiros está otimista em relação ao rumo do país e da economia, revela uma pesquisa realizada pelo instituto de opinião pública Pew. O estudo sobre atitudes globais foi publicada nesta quinta-feira. Enquanto a maioria da população de outros países se mostra pessimista em relação à situação de seu país, metade dos brasileiros disse estar satisfeita com as condições gerais e 62% disse que a economia nacional está em uma boa situação.

O otimismo dos brasileiros contrasta com a opinião de cidadãos de outros países, que consideram que a economia está em condições ruins. Segundo a pesquisa, 88% dos espanhóis, 75% dos mexicanos e 72% dos argentinos acha que a economia em seus respectivos países vai mal.

A pesquisa também analisa a percepção dos cidadãos sobre a popularidade de seu próprio país. Nessa questão, 80% dos brasileiros acredita que seu país goza de popularidade, índice que se reduz para 75% no caso dos espanhóis, 63% dos argentinos, 61% dos mexicanos e o 35% dos americanos.

Para 53% dos brasileiros, em algum momento, o Brasil se transformará em uma das nações mais poderosas do mundo. Apesar do otimismo generalizado, os brasileiros consultados também manifestaram preocupação pelos desafios que seu país enfrenta, entre eles o tráfico de drogas, o crime organizado, a corrupção, a desigualdade social e a poluição.

Quando perguntados sobre a situação de outros países, 62% dos entrevistados tiveram uma opinião otimista em relação aos Estados Unidos e 52% opinaram o mesmo em relação à China, que são os dois principais parceiros comerciais do Brasil. Entre os outros países latino-americanos incluídos na pesquisa, 56% dos mexicanos e 42% dos argentinos tiveram uma opinião otimista em relação aos EUA

Em relação ao presidente dos EUA, Barack Obama, 56% dos brasileiros confiam em sua gestão de assuntos internacionais, em comparação com 49% dos argentinos e 43% dos mexicanos. A pesquisa revelou um descontentamento dos brasileiros com Lula nas relações com o Irã. Embora o presidente se oponha a maiores sanções para que o Irã desista de seu programa nuclear, 65% dos entrevistados aprova um aumento das sanções, enquanto 31% se opõe.

Além disso, 54% disseram estar dispostos até a apoiar uma ação militar para impedir que o Irã adquira armas nucleares. A maioria dos brasileiros consultados também teve uma opinião negativa em relação ao presidente venezuelano Hugo Chávez e apenas 13% expressou "alguma confiança" nele. A enquete é parte de uma pesquisa global realizada entre abril e maio em 22 nações. No Brasil, mil pessoas foram consultadas. A pesquisa tem uma margem de erro de 4,5 pontos porcentuais para mais ou para menos.

(com agência EFE)

Veja
23-09-2010

Um comentário:

Mazé Silva disse...

Olá Armindo, feliz retorno!

Assunto bastante interessante pra ser debatido, refletido e analisado.

Hoje em dia o Brasil e os brasileiros, têm motivo de está esperançosos ou otimistas com a sitiação em que o país vive atualmente.

Com esse governo que o país possui, adquiriu uma grande credibilidade diante de muitas nações poderosas ou de Primeiro Mundo, visto que, o Brasil teve um desenvolvimentos em diversos setores, uma melhoria de vida e do poder aquisitivo. E diante de uma crise mundial, o Brasil despontou com a força de sua moeda e as políticas adotadas bem sucedidas pelo governo.

Diante de muitos respaudos políticos e confiança de outras nações perante a nossa, o Brasil pode destacar-se nesse ano como a 8ª Economia Mundial, recuperando o seu posto antes ocupado por ele tendo como base o PIB ( Produto Interno Bruto), no ranking global em bilhõs de dólares.

A confiança, a satisfação na forma política adotada pelo governo contribuiu para a confiança da população, para que se continue tendo um vida próspera e esperançosa de um futuro melhor.

Graças ao governo que, no seu desempenho de projetos feitos e realizados, mostrou ao próprio país e ao Mundo que o governo tem respaudo político e econômico, onde foi capaz de pagar uma dívida externa gerada por outros governos durante várias décadas.

Já na conferência mundial de Copenhague realizada este ano sobre o futuro do Planeta( Ecologia) Lula foi um dos presidentes que mais se destacou em seus discursos e nas suas confirmações de cumprir com o Desenvolvimento Sustentável.

Ainda não está como queríamos, pois sabemos como foi falado no texto, que existe problemas com a corrupção dificuldado a acreditar-se em quem escilher para governantes, a criminalidade que aumenta devido a diversos fatores e a desigualdade social, quadro difícil de mudar-se num Sistema capitalista, de ganancia, egoismo, onde cada um querendo ser o melhor, nem que venha a esmagar, pisotear os mais fracos.

Como é difícil que nossa sociedade torne-se igualitária, onde haja o bem comum para que todos gozem de seus direitos e deveres de cidadãos.

Ainda bem que temos essa capacidade de driblar muitos problemas e ainda termos esperança de que o dia de amanhã seja próspero e vindouro para que tenhamos uma socieadde mais justa.

Parabéns pela matéria, Mindo; matéria esta que deixa margem pra debates, discussões e reflexões.

Beijos e abraços

Mazé Silva