sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Tela de Portinari roubada em Olinda é recuperada no Rio de Janeiro


O quadro "O enterro" estava com um homem, preso em um restaurante. Segundo a polícia, ele e um comparsa estariam negociando a pintura.
Foi recuperado no Rio de Janeiro o quadro de Portinari roubado há 17 dias do museu de Arte Contemporânea de Pernambuco, em Olinda.

O quadro “O Enterro” estava com um homem, preso num restaurante, em Copacabana. De acordo com a Polícia Federal, ele e um comparsa, que também está preso, estariam negociando a pintura com intermediários brasileiros que revenderiam a obra no exterior.

A obra, pintada a óleo sobre madeira, de 24,5 cm por 33,5 cm, integra a Série Azul do artista e pertencia ao acervo desde 1966. O quadro estava exposto no primeiro andar do prédio ao lado de outras quatro telas da série.

O furto é investigado pelo Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais e foi informado à Polícia Federal e à Interpol, segundo nota divulgada pela Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), órgão responsável pelo MAC. Mas não há pistas do ladrão.

A obra é avaliada entre R$ 800 mil e R$ 1,2 milhão, o que se aplica aos outros quatro quadros da Série Azul, que estavam expostos ao lado de “Enterro”. A diretora do MAC, Célia Labanca, orgulha-se do fato de o museu ser “o segundo da América Latina em qualidade e quantidade de obras”. Tem um acervo de cerca de quatro mil obras – 400 delas em exposição. “Só perde para o Masp (SP)”, diz.

Apesar da importânciado acervo, o MAC não tem circuito interno de vídeo ou qualquer outro tipo de vigilância eletrônica. Sua segurança é feita 24 horas por dois vigilantes de empresa contratada.

Este foi o segundo furto registrado no museu. O primeiro, há 25 anos, foi um autorretrato de Visconti, que nunca foi recuperado. Célia, que prestou queixa à polícia assim que soube do furto, depôs ontem e forneceu o livro de ata do Museu e uma réplica do quadro.

Na quarta-feira, 17 pessoas visitaram o MAC, que abre de terça a domingo das 9h às 17horas. Por determinação da polícia, o prédio está fechado e só reabre à visitação na terça-feira, 20. Segundo a nota da Fundarpe, peritos e técnicos da polícia civil coletaram rastros e impressões digitais.
.
Os quadros de Portinari pertenciam a uma coleção doada por Assis Chateaubriand que permitiu a abertura do MAC, localizado na parte histórica de Olinda, em um prédio que pertenceu à Igreja Católica e funcionou como prisão eclesiástica. Depois serviu de cadeia pública da cidade.

portal do JT

Jornal Nacional

Nota Elo: Mazé Silva

A recuperação desse quadro de Portinari, foi uma conquista de grande importância para a Arte e a cultura brasileira e mundial.

Valorizar a Arte de um povo, é prestigiar a Cultura desse povo, que expressa os seus sentimentos, valores éticos e morais.

Esperamos que o governo conscientize e incentive o povo a dar valor a Arte, ao belo, a cultura para que possam ter a consciência do nosso patrimônio histórico e artístico da humanidade.




Nenhum comentário: