segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Ratos podem reconstruir história da evolução humana

Roedores podem dar pistas sobre condições em que os humanos viviam

Fósseis encontrados em África têm grande valor paleontológico

Os ratos são conhecidos pela sua capacidade de viver em ambientes humanos, de aceder aos alimentos que há nas casas e por poderem transmitir doenças às pessoas graças à proximidade com que vivem delas, sendo por isso muito indesejados.


No entanto, o valor científico destes animais é muito elevado. Para além de serem largamente usados em investigações, estão entre os mamíferos mais comuns em África durante os últimos 50 milhões de anos, pelo que são fulcrais para o estudo da evolução humana.

Os roedores prosperaram na África pré-histórica, desde os desertos às florestas tropicais e tornaram-se numa fonte de alimentação estável e abundante, segundo Alisa J. Winkler, paleontóloga da Southern Methodist University, nos EUA, e especialista em fósseis de ratos e coelhos.
Os fósseis de roedores estão a revelar-se mais importantes do que nunca no que respeita à sua utilidade científica para fornecerem informações vitais sobre a evolução humana, sublinha um novo estudo da investigadora americana e das suas colegas Christiane Denys, do Museu Nacional de História Natural francês, e Margaret Avery , do Museu Iziko da África do Sul.

Estes animais constituem a maior ordem de mamíferos vivos e representam 42 por cento de toda a diversidade desta classe de vertebrados, em todo o mundo. Os dados obtidos a partir deles podem corroborar os indícios fornecidos por fósseis de vegetais e de outros animais e, até mesmo ao nível da geologia, dar novas pistas sobre o ambiente em que viviam os antepassados humanos e outros mamíferos pré-históricos.

Além disso, a identificação dos fósseis destes animais pode fornecer informações importantes sobre a ecologia local e as mudanças ambientais que aconteceram ao longo do tempo.

21-01-2011

Um comentário:

Mazé Silva disse...

Olá meu querido Mindo!

Postagem bastante interessante!

Quem diria que um animalzinho tão asqueroso como o rato, fosse servir de estudo para o homem descobrir, como viviam os antepassados, como também animais pre-históricos e descobrir dados até da Geologia, ecologia e as transformações do ambiente através da história.

Gostei de saber esses dados que através de estudos paleontológicos desse tipo de roedores, fossem fornecer enormes contribuições para grandes descobertas em diferentes aspéctos da vida na terra.

Mindo, parabéns pela riquíssima postagem!

Beijinhos de sua sócia e patroazinha!

Mazé Silva!