sábado, 11 de agosto de 2012

A Terra vista do Espaço é transformada em Arte

A Terra fotografada da Estação Espacial


    Mazé Silva
Elo Geográfico


O nosso planeta dentre os que compõem o Sistema Solar, é um dos mais lindos e admirados visto do Espaço Celeste, por cientistas, astronauta, e estudiosos que sempre procuram buscar algo de novo quando o tema está relacionado ao planeta que habitamos, e que se fôssemos considerar a sua composição e formação geológica poderíamos chamá-lo de “Planeta Água”.

Milhares são as belezas que ele desperta, pois quando observamos fotos enviadas do espaço pelos grandes curiosos, em busca de mostrar a grandeza fenomenal que ele nos proporciona, poderemos considerar essas imagens que nos enviam, como uma arte que conduz o ser humano a fazer concursos para escolhermos as mais exuberantes imagens da “Terra”, como uma forma de homenagear a nosso próprio astro em que habitamos pela seu deslumbramento da grandiosidade que essas imagens nos proporcionam, graças a NASA que é responsável por tamanha façanha.

A fotografia em si, é considerada uma arte, e que sendo oriundas do espaço, nos permite uma visão de misturas de cores que manipuladas, conduzindo os observadores a vislumbrar essas preciosidades emitidas do céu, que por meio de satélites e graças à tecnologia de ponta relacionada à Astronáutica e que “O Serviço Geológico dos Estados Unidos selecionou as melhores imagens feitas pela NASA e aproveitando também a escolha das melhores fotos que o público teve a oportunidade de escolher, lançou a série, “A Terra como Arte”, que desde 19 Desde 1972, as imagens de satélite se transformaram em uma referência para ajudar a ciência em pesquisas sobre o uso da terra e dos recursos naturais.

Os quarenta anos do programa de satélites Landsat em belas imagens. Desde que o Google Earth apareceu, aprendemos a conviver com imagens de satélite diariamente. Algo que até há poucas décadas era uma exclusividade de alguns nichos acadêmicos e militares, tornou-se parte do nosso dia a dia digital, e acima de tudo, despertou a ‘veia exploratória’ que todos temos dentro de nós.
Recentemente, o National Geographic publicou as melhores fotos do desafio “Earth as Art”, onde fica bem visível a beleza deste pedacinho de pedra espacial a que chamamos de Terra. Contudo, o objetivo destas imagens selecionadas é revelar o nosso planeta em todo o seu esplendor em vários meios – vales, montanhas, ilhas e florestas e toda riqueza que a natureza nos proporciona. Foi pedido ao público que votasse nas suas imagens favoritas entre as mais de 120 fotos da série. Após 14 mil votos, estas são as imagens vencedoras.

(Fotos: NASA's Goddard Space Flight Center/USGS)
imagem: NASA | National Geographic)


A competição fez parte das atividades comemorativas do 40º aniversário do programa Landsat. O primeiro satélite foi lançado no dia 23 de Julho de 1972, e é atualmente o programa de satélites mais antigo do mundo em atividade.
A imagem de cima foi a vencedora, intitulada “Van Gogh From Space” (‘Van Gogh visto do espaço’, em tradução livre).

O 1° Lugar – No centro desta imagem está a ilha de Gotland na Suécia. As variações de cor no escuro mar Báltico correspondem à grande quantidade de fitoplâncton existente na região quando as correntes marinhas transportam nutrientes. E se realmente gosta do tema, então uma visita à página do programa Landsat é fundamental.


O 2º Lugar – Esta imagem, que parece as artérias que irrigam um órgão do nosso corpo, corresponde aos inúmeros lagos que existem no delta do rio Yukon, no sudoeste do Alasca. Esta região é um refúgio para muitos animais selvagens.


O 3º Lugar – Cidades, pastos e culturas formam um mosaico em volta do rio Mississippi, nos Estados Unidos. Esta é a maior bacia da América do Norte.


O 4º Lugar – As pinceladas amarelas ao centro correspondem às dunas de areia entre a Argélia e a Mauritânia, no noroeste de África. Esta região é conhecida como Erg Iguidi.


O 5º Lugar – Esta massa de água é o lago Eyre na Austrália. Quando totalmente cheio é o maior lago do país. Contudo, nos últimos 150 anos só atingiu o seu limite de armazenamento três vezes.


Embora estejamos vivendo um momento de crise mundial, mas os países envolvidos na corrida aeroespacial, e outros que estão engajados e que tenham interesse também nos projetos que envolvem pesquisas na área astronômica, continuam em sua maioria querendo crescer nesse setor tecnológico e participar de projetos de inovação. O Presidente dos Estados Unidos, ao assumir o último governo,Barack Obama não pretende mais competir com a Rússia como na época da Guerra Fria, pois os projetos previsto para as últimas três décadas, agora a exploração depende menos de rivalidades geoestratégicas do que de interesses comerciais, que irão desempenhar um papel decisivo no futuro imediato do setor aeroespacial. O maior desafio enfrentado pelas instituições e empresas empenhadas em ultrapassar a “última fronteira”  e também não há lucro vislumbrável na Lua, em Marte ou seja lá onde for. 

Os dez objetivos que o setor espacial estabeleceu como prioritários para as próximas três décadas, como encontrar novos mundos habitáveis ou enviar uma missão tripulada a Marte, representam um desafio tecnológico sem precedentes.
A ISS - Estação Espacial Internacional, é mantida por dezesseis países e que envolve, diversos Programas Espaciais. 

Texto redigido, temo como base matéria da:

BBC Brasil.

Revista Superinteressante