segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

O estilista do violão brasileiro - Nonato Luiz


Nonato Luiz volta a apresentar o seu Estudos, Peças e Arranjos, dessa vez no Centro Cultural Banco do Nordeste %u2013 e ainda lançando livro e DVD homônimos

Nonato Luiz faz homenagem a Villa-Lobos, Garoto e Baden Powell (TALITA ROCHA, EM 2/2/2008)

Um quase menino, que a maturidade alcançada ao violão alçou os mais altos e incríveis voos: Nonato Luiz sobe mais uma vez ao palco para apresentar o seu Estudos, Peças e Arranjos, disco de uma lavra quase toda sua, de composições da vida inteira, com duas exceções especialíssimas: Saxofone, Porque Choras (de Severino Rangel de Carvalho, o Ratinho) e Meu Coração (de Aníbal Augusto Sardinha, o Garoto). O palco é o Instrumental do Centro Cultural Banco do Nordeste, hoje, às 18 horas, de livre acesso para a cidade.

Nonato foi definido por Fábio Zanon (autor do bonito e aclamado pela crítica Obra Completa para Violão Solo – Heitor Villa-Lobos, de 2010) como o estilista do violão brasileiro na atualidade. Entendendo estilista não aquele que se interessa pelo virtuosismo exacerbado, “nem pelas harmonias mais densas, por influências inusitadas ou por inovações tecnológicas.

Isso ele deixa para os outros, do alto da experiência de quem já viu tudo e pode se dar ao luxo de escolher. O estilista é como um vermute: um blend tão especial de coisas nobres e simples que se transforma num sabor único e inimitável”.

Esse disco, que agora chega com um DVD e um livro de partitura, homônimos, traz mais um diálogo, desses que Nonato já fez um bocado, mas de uma voz mais presente por parte do violonista. “Eu já gravei um disco só com Luiz Gonzaga, outro só com choro, outro só com Beatles. Eram trabalhos de releitura. Já nesse CD agora eu...

Estou mais inteiro, vamos dizer assim”, contou ele por telefone, na última quinta-feira. O disco é também uma homenagem a três grandes compositores brasileiros – Heitor Villa-Lobos, Garoto e Baden Powell. “Me identifico muito com o movimento musical deles. Tem uma coisa ali que me passa uma empatia, uma musicalidade, que acrescenta na minha música”.

No repertório, Villalobiana e Saudades do Baden, as homenagens mais diretas. Compostas, talvez, na calmaria da casa vazia, numa manhã silenciosa, como quando costuma trabalhar. E ainda os Estudos, do número 1 ao 5, que são expressões arrojadas da imaginação do músico, ainda sob a visão de Zanon, em texto no site do músico (www.nonatoluiz.com.br).

São 19 composições no disco, que nos shows podem ser mais. “No show você abre um pouco o leque. O público às vezes pede. Mas o CD é fiel ao livro”, detalha. Peças de outros compositores, mas principalmente as suas, portanto, podem aparecer na noite.

SERVIÇO

ESTUDOS, PEÇAS E ARRANJOS

Onde: Palco Instrumental do Centro Cultural Banco do Nordeste (Rua Floriano Peixoto, 941)

Quando:  12 de fevereiro

Quanto: Grátis

Outras info.: 3464 3100

Júlia Lopes

O Povo Online
12.02.2011

Nenhum comentário: