sexta-feira, 8 de abril de 2011

Frente Parlamentar das Santas Casas foi reinstalada no dia 22 de fevereiro de 2011.




Por Mazé Silva
Portal Splish Splash


Quanto tempo os responsáveis pelo andamento e funcionamento das Santas Casas, vêm esperando para que o governo, os políticos fizessem uma intervenção e uma tomada de decisão definitiva, para resolver os problemas que as mesmas têm enfrentado ao longo de muitos anos e sem nenhuma promessa e resoluções concretas a fim de que resolvesse de vez o drama que essas instituições sem fim lucrativo, vem enfrentando à décadas.


Com a presença do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, foi instalada no dia, 22 de fevereiro, a Frente Parlamentar de Apoio às Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas na área da saúde. Formada inicialmente por 270 deputados e senadores. A nova frente é presidida pelo deputado Antônio Brito (PTB-BA). O primeiro vice-presidente é o deputado José Linhares (PP-CE), a segunda vice-presidente, a deputada Benedita da Silva (PT-RJ), e o primeiro-secretário, o deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), que também preside a Frente Parlamentar da Saúde.


A maior parte da população em geral e aqueles que buscam atendimento nas Santas casas, não sabem que elas vivem precariamente, sem uma ajuda do governo, Federal, Estadual e Municipal e que eram para repassar alguma ajuda de custo e que não vinham fazendo. Já são dez anos que a crise assola essas Unidades Hospitalares, que sobrevivem através de doações voluntárias por parte da comunidade, pois elas são Instituições filantrópicas, que sobrevive dessas ajudas abençoadas e que muita gente desconhece desse detalhe.


As Santas Casas, já funcionaram muito bem, mas hoje estão sucateadas devido o descaso do governo e uma das causas é o desvio das verbas do SUS, que deixou de ser repassada e está aí a luta e que sempre nos encontros nacionais e internacionais das Santas Casas, são debatidos esses assuntos e só fica na promessa e que os gestores estão sempre preocupados em ter-se um decisão o mais rápido, pois essa ajuda para que as mesmas possam continuar a atender à comunidade, principalmente o povo carente que está no dia a dia em busca de um atendimento hospitalar.


Existe uma ligação muito grande entre o Brasil e Portugal, quando falamos em Santas Casas, pois foi no país lusitano, que foi criada a primeira Santa Casa, pela Rainha Leonor em Lisboa no ano de 1498, como um patrimônio cultural da humanidade. Em 1543 no Brasil, surgindo as primeiras unidades.
Regulamentação da Nova Filantropia, com reajuste da tabela do SUS, qualificar os gastos, seguindo a Emenda Constitucional 29 através do PIB, a Emenda da Saúde, irá somar forças para resolver esses transtornos dentro do SUS, que veio a levar a falência das Santas Casas.




E outras medidas irão contribuir para fortificar o andamento dessas instituições, como aperfeiçoamento nas Leis Tributária, Seminário de Gestão para as Santas Casas, luta constante das entidades não governamentais, cultural, social e de saúde, intensificar as doações por parte da sociedade competente, já que as mesmas não são do governo como muita gente pensa e sim vivem de ajudas, doações e que nem sempre há uma sensibilidade por parte daqueles que têm um poder aquisitivo alto, e possam ajudar aos mais necessitados que procuram a saúde nas Santas Casas.


Integrantes da Frente Parlamentar de Defesa das Santas Casas, além de representantes da Confederação Nacional, Federações Estaduais, gestores e administradores hospitalares, participaram, na noite de terça-feira (22), de uma primeira audiência com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, quando apresentaram suas reivindicações. As maiores preocupações das Santas Casas são com a revisão da contratualização e com um necessário suporte de recursos, de no mínimo R$ 300 milhões.


Os gestores reclamam também da retenção dos recursos da timemania destinados para capacitação de capital humano das instituições filantrópicas e com a baixa remuneração de alguns setores, como UTI, partos e hemodiálise.

O ministro Alexandre Padilha afirmou que pretende manter um diálogo permanente com as santas casas e que vai analisar com carinho as reivindicações do setor.


O ministro Alexandre Padilha afirmou que não existiria o SUS sem as Santas Casas e pediu aos parlamentares, integrantes da Frente, que ajudem o Ministério a enfrentar o problema do crack, uma das prioridades do Ministério. “O setor de saúde tem que assumir o problema do crack e de outras drogas e construir um plano nacional de alerta, prevenção, combate, tratamento e reinserção social dos usuários”, disse. Para o Ministro, o Legislativo, as entidades de saúde, os hospitais e a sociedade, devem se engajar nessa luta.


As 2.100 Santas Casas de Misericórdia e hospitais filantrópicos, como bem, avaliou o ministro Alexandre Padilha, são fundamentais para o funcionamento do SUS, pois são responsáveis por 41% das internações, fazem 10 milhões de atendimentos ambulatoriais por ano e geram 480 mil empregos diretos. Para se medir sua importância, vale ressaltar que 56% dessas instituições são os únicos hospitais no município onde se localizam.


Vamos esperar que a Emenda Constitucional 29, possa agora com o apoio dos políticos engajados com o problema da saúde, possa mudar a vida das Santas Casas e para que as mesmas possam atender de forma mais qualificada e eficiente àqueles que procuram aquela unidade hospitalar.


Estou atendendo um pedido da minha mana, Ir.Eneide, que como diretora da Santa Casa de Aracati no Ceará- Brasil, passa por todos esses problemas que vem alastrando-se faz muitos anos.


No final do ano estive presente na Santa Casa de Aracati e tive o prazer de passar o Ano Novo com minha irmã, minha mãe que encontravá-se lá e as outras filhas de caridade( freiras) que fazem parte da mesma instituição.
E sempre presenciei as dificuldades enfrentadas pela Santa Casa que eu citei.

-----------------------------------------------------
Matéria enviada gentilmente pela Ir.Eneide, diretora da Santa Casa de Aracati e também  minha querida irmã e redigida por mim, com base no texto da A gência Câmara de Notícias e TV Câmara através da contibuição do vídeo.

Nenhum comentário: