terça-feira, 27 de novembro de 2012

O dia da Consciência Negra

Consciência Negra 


Por Mazé Silva
maze_silvaa@hotmail.com

Este é um tema de grande relevância para que todos os seres humanos possam lembrar com toda dedicação, seriedade por tratar-se da inclusão ou exclusão no pensamento, na imaginação daquelas criaturas que ainda não incorporaram em suas mentes, a valorização de indivíduos que fazem parte de uma sociedade e que desde tempos bem remotos, sofrem a tal da discriminação. 

Tudo isso, porque não possuem as características físicas que uma grande parcela da população, que não concordam ou rejeitam sem perceber que são criaturas que possuem direitos, valores tanto quanto àqueles que dominam uma sociedade escravocrata de séculos passados e que já estão ultrapassadas perante idéias de rejeições levadas pelo machismo, a dominação e o poder de homens que por ventura achavam-se donos do espaço físico por eles conquistados por influências políticas e com o poder econômico nas mãos, mantinham  o domínio desses povos que vieram aqui para o nosso Brasil, enganados, pensando que viriam trabalhar e ter uma vida digna, já que onde viviam em continente como a África, sem ter sequer o alimento que é o mínimo que um ser humano precisa para sobreviver ou não morrer de inanição.  Toda essa vivência, desde o tempo da Colonização e da dominação portuguesa em nossos territórios.



No dia 20 de novembro celebramos o “Dia da Consciência Negra”, data esta que condiz com a morte de um dos maiores lutadores em prol da liberdade do negro, “Zumbi dos Palmares “no ano de 1695 (um símbolo da resistência à escravidão).  Neste dia, deverá ter enfoques nas Escolas, nos estabelecimentos públicos e privados, reflexões, questionamentos e tomada de consciência, sobre a inserção do negro na sociedade brasileira, observando e reconhecendo a importância da sua cultura e de sua história.
*Maiores conhecimentos sobre Zumbi, acesse o link:
http://www.historiabrasileira.com/biografias/zumbi-dos-palmares/

São diversas as formas da contribuição da cultura negra para a nossa nação. Poderemos citar: a música, a dança, o vocabulário, a culinária, os costumes de uma forma abrangente. Ações deverão ser tomadas, para que tenhamos uma sociedade mais igualitária, sem racismo e que este ser humano que muito contribuiu para o engrandecimento do nosso país, culturalmente e que há muitos anos já poderiam está usufruindo de seus direitos de cidadãos, sem sofrer mais rejeições. Que a sua inclusão no contexto social, aconteça de forma definitiva e sem objeções em diversos âmbitos do convívio social.

Dia da Consciência Negra marca desigualdades ainda existentes

É lamentável que o racismo ainda perdure em nosso país e no mundo. Sendo assim, esta é uma temática que deverá ser trabalhada nos estabelecimentos de ensino, conscientizando o educando desde a mais tenra idade, a ter o reconhecimento, de que o negro faz parte da miscigenação de raças e que com eles muito aprendemos. Suas contribuições são incontáveis, devendo ser valorizada e passar a fazer parte dos Currículos Escolares.
Sensibilizar os indivíduos desde cedo, a primar pelo respeito e valores a todos os seres humanos, sem distinção de raça, de cor, de classe social. Esperamos que aconteçam políticas educativas, para que haja uma disseminação de idéias, que venha promover a igualdade entre os povos e combater este tipo de atitude e preconceito, prevalecendo  o respeito de cada pessoa, prevalecendo a valorização indispensável que deve-se ter a qualquer ser humano.

A Participação do Negro no Brasil e no mundo
Ministro do Supremo do STF - Joaquim Barbosa

Atualmente, encontram-se milhares de negros nos mais diversos cargos de prestígio na sociedade brasileira e no mundo; Presidente,  deputados, senadores, ministros, juízes, promotores, procuradores. As pessoas podem estranhar esta afirmação, mas é que eles se esquecem de que dentro da categoria “negro” está incluído o “pardo”. Mesmo porque os “pretos”  são apenas 6% da população, não podemos nos esquecer disto.

Muitas conquistas já se deu atualmente no campo de ocupação de trabalho,  onde o negro já ocupa seu espaço de forma digna, ocupando diversas áreas do conhecimento,  pois a inteligência, o bom desempenho não está na cor e sim na capacidade, no aprimoramento do desempenho de suas funções. Antigamente víamos a discriminação da mulher em setores do campo trabalhistas, em que as mesmas não poderiam ocupar os mesmos cargos que o homem ocupou desde o surgimento das profissões, com a criação de cursos profissionalizante, Universidades.  O mesmo acontecia com o homem negro que não poderia ocupar diversos cargos ou até mesmo em formação religiosa, era proibida a ocupação de cargos eclesiásticos por puro preconceito racial.

O que se poderia fazer para acabar ou diminuir com o Preconceito Racial no Brasil e no Mundo?

A denúncia é o melhor caminho para que não existam mais crimes raciais ou atos racistas. “Enquanto nos calarmos ou fecharmos os olhos para o racismo, ele vai continuar. Hoje temos vários meios de denunciar os crimes de racismo: lei federal e estadual, Estatuto da Igualdade Racial, Conselho da Comunidade Negra que também é um órgão fiscalizador e as Organizações Internacionais que também recebem estas denúncias”.

----------------------------------------------------------------------------------
Texto redigido com complementos dos sites:

http://www.suapesquisa.com/datascomemorativas/
http://www.brasilescola.com/sociologia/

Vídeo - Cosciência negra

Nenhum comentário: